Seis jurados informaram que teriam sido “procurados” pelos  acusados.

PM Edwilson, ao deixar o Fórum na viatura.

Os três policiais militares Edwilson Carvalho de Sena, Sebastião Leme Correia da Silva e Denesio Rodrigues Filho, que seriam julgados hoje pelo júri popular em Senhor do Bonfim, acusados da morte de Nivaldo Ramos da Silva, fato registrado em 1997, tiveram suas prisões decretadas pelo juiz da vara crime Dr. Teomar Almeida. Os PMs já seguiram para Salvador.

O júri não aconteceu, e existe pedido de desaforamento para realização de novo júri popular.

O fato motivador das prisões dos acusados e pedido de mudança de local, aconteceu após a comunicação de seis jurados que teriam  informado ao juiz que teriam sido “procurados” pelos acusados e familiares.

Os PMs Denesio e Sebastião, estavam no Fórum no momento em que receberam a voz de prisão, eles estavam em liberdade e aguardavam o resultado do júri.

Edwilson, está preso e chegou por volta das 14 hs, onde foi comunicado da decisão judicial.

O advogado de defesa do PM Sebastião  Leme, Dr Marcus Rebouças, disse a reportagem, que ficou surpreso com a decisão e que vai entrar com pedido de Habeas Corpus, para liberar seu cliente.

Marcus Rebouças é contrário a mudança de cidade para a realização de novo júri.

O advogado declarou ainda que seu cliente, jamais ameaçaria ninguém e que se trata de um cidadão de bem.

O advogado Dr Pedro Cordeiro, assumiu a defesa do PM Edwilson Sena.Dr Pedro Cordeiro, informou que vai acompanhar o MP e deseja que o juri aconteça em Juazeiro.

Para os familiares da vítima, ficou claro que os acusados cometeram o crime.