Em coletiva, delegado informou que dois perfis de DNA foram achados em faca e nas unhas da criança.

Assista ao vídeo da coletiva, divulgado pelo Blog Geraldo José, que traz as imagens divulgadas pela polícia:

 Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (8), a Polícia Civil de Pernambuco divulgou características do principal suspeito pelo assassinato da menina Beatriz Angélica Mota, 7 anos, durante uma festa de formatura em uma escola de Petrolina (PE), em dezembro. O homem é negro, magro, com cerca de 1,65m e cabelos crespos. Imagens de segurança mostram o suspeito nas proximidades da escola.

O delegado Marceone Ferreira Jacinto disse que muitas pessoas viram o suspeito no dia do evento, usando uma camisa verde e calça jeans. Algumas testemunhas contaram que viram o homem fingindo beber água no bebedouro onde a menina disse que iria. Uma criança ouvida pela polícia narrou que o suspeito a teria chamado para buscar mais cadeiras, mas ela ficou com medo e correu. Um funcionário da escola também percebeu a presença do estranho e ficou próximo ao bebedouro esperando outro aluno tomar água, para que ele não ficasse só com o desconhecido.

Após ouvir de 12 testemunhas que havia um desconhecido no local, a polícia analisou vários vídeos de iamgens de segurança e identificou o suspeito. Foram analisadas 4.270 fotos oficiais da festa, além de 5 TB de fotos e vídeos feitos por presentes no evento.

A faca usada no crime também foi analisada. Um DNA masculino foi identificado no cabo da faca. Também foi achado material genético diferente nas unhas da criança. “Nós queremos chegar nas pessoas que têm esses dois perfis de DNA. É um trabalho árduo. Temos uma equipe de investigação dedicada exclusivamente para isso”, disse o delegado, segundo o Diário de Pernambuco.

Até agora, foram feitos 65 exames de comparação de DNA em suspeitos, nenhum deles dando positivo. Também foi descartada a possibilidade de violência sexual contra Beatriz.

Crime
Beatriz foi morta em 10 de dezembro de 2015, durante uma festa de formatura do Colégio Maria Auxiliadora. A garota, que morava com a família em uma chácara em Juazeiro, na Bahia, foi encontrada em um depósito de material esportivo desativado, que fica ao lado de uma quadra de esportes onde acontecia uma solenidade de formatura. Ela foi esfaqueada 42 vezes no tórax, membros superiores e inferiores. Ela estava no evento acompanhada dos pais.

Imagens de câmeras de segurança mostram o instante em que Beatriz deixa a arquibancada em direção ao bebedouro (Fotos: Polícia Civil/Divulgação)

Correio 24 hs