Os primeiro indícios da necropsia feita no garoto José Kaique Dantas do Nascimento de sete anos, na última sexta-feira, 21, pelo perito do Instituto Médico Legal (IML), apontam para Embolismo Pulmonar. O garoto sofreu uma queda enquanto brincava com colegas nas proximidades de sua residência e foi levado pela mãe 48h após o acidente para atendimento. Pouco mais de 24 horas depois da primeira avaliação Kaique retornou ao hospital Regional já sem os sinais vitais  – vindo a óbito antes de qualquer intervenção médica.

Sobre o problema que pode ter levado a morte do garoto o médico legista Marcos Sá disse. “Os indícios iniciais da necropsia apontam para trombolismo pulmonar, vamos esperar analise enviada para Salvador para termos a certeza”. Perguntado sobre a relevância da queda no agravamento do quadro clinico do garoto o medico respondeu” Não se pode descartar nada porque a gordura liberada por um foco de fratura pode causar embolia. Não estou lhe dizendo que este seja o caso, mas fraturas podem causar tromboembolismo. O resultado do laudo oficial será divulgado após conclusão da pericia técnica em 40 dias.

Tromboembolismo Pulmonar                                .

A embolia pulmonar ocorre quando um coágulo (trombo), que está fixo numa veia do corpo, se desprende e vai pela circulação até o pulmão, onde fica obstruindo a passagem de sangue por uma artéria. A área do pulmão suprida por esta artéria poderá sofrer alterações com repercussões no organismo da pessoa, podendo causar sintomas. Às vezes, mais de um trombo pode se deslocar, acometendo mais de uma artéria.                                               .

Como se desenvolve?                                                                                   ?

Existem algumas situações que facilitam o aparecimento de tromboses venosas, que causam as embolias pulmonares. A trombose é o surgimento de um trombo (coágulo de sangue) nas veias. Normalmente ocorre nas pernas, coxas ou quadris. Quando este trombo se desprende, vai para a circulação e acaba trancando numa artéria do pulmão, podendo ou não causar problemas. Se for pequeno, poderá até não causar sintomas, mas se for de razoável tamanho, poderá causar dano pulmonar ou, até mesmo, a morte imediata.

Dentre algumas situações que colaboram para o aparecimento desta doença, estão:                          :
Fraturas ósseas com imobilização prolongada do paciente

Pessoas que passam muito tempo acamadas, sem atividade física
Cirurgias
Uso de anticoncepcionais com estrógeno               .
Varizes
Tabagismo
e Obesidade.

falandotudo.com