Diante da ameaça de greve do Hospital Regional Dom Antonio Monteiro, por parte de funcionários, técnicos e médicos o Prefeito Paulo Machado esclarece à população que a cada mudança de governo, o temor de perda, leva determinadas categorias a buscarem uma solução imediata para problemas que se arrastam há anos. “Movimento semelhante ocorreu quando assumi a prefeitura e uma de minhas primeiras atitudes foi parcelar os débitos tanto com os médicos como com os funcionários e técnicos”, observou o Prefeito Paulo Machado.

 

Cabe também esclarecer a todos, mais uma vez, que a fonte de recursos é única e dependemos de repasses que sempre chegam com atraso. Mesmo assim a Secretaria de Saúde não tem débitos anteriores a novembro com o hospital, e dos 430.000,00 que tem que repassar mensalmente, já foram repassados, referentes a novembro que é pago em dezembro, 230.000,00 (duzentos e trinta mil reais) que foram utilizados para quitar a folha dos funcionários, devendo os outros 200.000 reais, destinados à folha dos médicos, ser encaminhados provavelmente até o dia 22 de dezembro próximo. Quanto ao 13º. Salário este sempre foi negociado e dividido, parcelado, o que deverá ocorrer novamente.

 

“Pedimos a todos compreensão e serenidade, colocando-se em primeiro plano nossa responsabilidade social. O Hospital Regional não é municipal e tem sido um dos pontos de estrangulamento do governo municipal, que mantém a intervenção, mesmo perdendo espaços perante a opinião pública, visto que não podemos deixar à deriva a principal Casa de Saude que atende à população bonfinense e regional”, concluiu Paulo Machado