Senhor do Bonfim, 21 de junho de 2012.

 

Nobre deputado Carlos Brasileiro

 

Prezado Senhor:

 

Em resposta  ao  vosso clamor e não resposta àquilo que demonstrei quanto as mentiras e hipocrisias de um candidato que não sabe onde colocar a cabeça , corda de cânhamo talvez fosse o melhor, esclareço abaixo as suas contradições, como sejam:

01 – RANCOR

Substantivo masculino.
1.Ressentimento profundo e agudo, que não se atenua com o tempo, resultante de ato alheio que causa dano ou mágoa.
2.Ódio.
§ ran.co.ro.so (ô) adj.

Caro Deputado o Aurélio não representa o que eu disse e possivelmente o que você quis dizer, talvez seja melhor aprender um pouco mais de português. Não lhe tenho ódio, apenas não concordo com a sua maneira política de querer fazer prevalecer a sua vontade, esta sim ODIOSA.

02 – SENTIMENTO POLÍTICO E INVEJA

Aqui sim, caro deputado, está a minha magoa em ter votado no senhor esperando que Bonfim tivesse um deputado que pudesse defender a nossa terrinha. Um ato falho do deputado que fora transformado,   por exigências políticas, em  secretario, embora este  nunca tivesse o poder da pasta. Isto se faz suficiente para demonstrar porque o deputado nunca pode prover Bonfim com  ações daquela  pasta. Sobre inveja, caro deputado, devo dizer que só a temos quando o elemento em comparação é identificado como melhor que o comparador, decerto que não é o caso, não lhe vejo assim, não quis ser bancário quando recusei assumir emprego na Caixa Econômica e, definitivamente, o seu perfil político é o do político Lula, aquele que não sabe medir e separar princípios éticos da política pequena de conchavos. Não venderia o apoio recebido pelos professores que o elegeram, por afagos de governo e determinações partidárias. O homem deve pensar e ser o que verdadeiramente é, sem tratamentos de botox sempre que se queira mudar de imagem.

03 – CONVERSAS SOBRE O HOSPITAL

As nossas conversas sobre o hospital deram-se em tempos anteriores quando o convidei a ir ao Hospital  Martagão Gesteira para conhecer o que é um hospital e a sua administração dada, a sua ignorância na área. Lembre-se que naquela época conversamos sobre o grave problema político do PT, sobre o qual você disse que não tinha problemas quanto ao que a imprensa  denunciava – O FAMOSO MENSALÃO.

04 – SOBRE O MEU IRMÃO.

Convenhamos  senhor deputado, o senhor teve a melhor mão de obra que um político poderia achar, um homem honesto, apartidário e que só tinha uma visão, a mesma minha, O MELHOR PARA  A POPULAÇÃO. Já disse aqui e vou repetir, o senhor só transferia para o hospital menos de R$ 350.000,00, para o pagamento de pessoal e folha médica, nunca dava para pagar todas as despesas necessárias. Faço aqui valer o valor do meu irmão que fazia compras dando os seus cheques como garantia. Também não posso esquecer que, quando da sua saída, foi feita uma greve por sindicalistas de baixo nível e a serviço do PT. Onde estava o Senhor nesta oportunidade? Que amparo o Prefeito deu a meu irmão? A leitura da sua omissão provavelmente estivesse nos relatórios por ele passado e que o Prefeito ou escondeu, ou fez cara de paisagem para o assunto grave. Caro deputado, permita-me lhe pedir que demonstre para a população as suas ações materiais feitas em benefício do hospital. Hoje, em pouco tempo, já tenho mais ações do que o senhor durante todo o governo.

05 – O AGRESSOR

2 – O agressor mostra desconhecimento e beira a irresponsabilidade quando nega as obras que estão acontecendo em Bonfim, fruto do nosso mandato, como a reforma e ampliação do CSU (R$1 milhão), Recuperação da estrada Bonfim/Igara/Andorinha (R$18 milhões), Início do processo de implantação do Aeroporto Regional (Em fase de pagamento das desapropriações. Obra estimada em R$11 milhões), além de diversas ações na área social.

Agressor!!!  Valha-me Deus! Aqui começa o trafico de influencia com as forças do mal, não deputado não sou agressor, ao contrário sinto-me agredido pelo seu arrobo da sempre presente ARROGANCIA, mandando para cá pessoas para fazerem serviços em conjunto com o seu comitê, sem que uma comunicação escrita fizesse O DEVIDO PEDIDO. Sim deputado você tem que fazer pedidos, não pode abrir a casa dos outros como se fosse um déspota ( tá chegando perto ), é preciso que haja o devido respeito para com o município.

Somente para seu conhecimento, não haverá nenhum tipo de tratativa sem que o município dê a sua palavra final. Se o senhor pensa que pode resolver tudo numa sala com um secretário ( se é que aconteceu ), está enganado existe uma Constituição Federal, também chamada de Lei Maior, o senhor tem conhecimento deste pequeno livro?

06 – CLINEFRO

Caro deputado, os serviços da CLINEFRO são necessários para a nossa população, na época o senhor cedeu o terreno e a entidade fez a construção, a população agradece. Nada a me opor, talvez uma reanálise dos termos do contrato e da roupagem que continua sendo lavada no nosso combalido hospital.

07 – SAIDA DO HOSPITAL MARTAGÃO GESTEIRA

Confesso que sai do conselho de administração daquele hospital por motivos ÉTICOS, por não concordar com a Direção daquela Liga e, tão pouco com o Conselho de Administração. Simplesmente elegeram uma pessoa para ser Superintendente do hospital, tendo este  uma participação numa empresa que já fazia consultoria para o hospital, e da mesma forma, foi nomeado um outro sócio desta mesma empresa  para a condição de Diretor Administrativo Financeiro, alem de ter os serviços jurídicos entregues ao irmão do dito superintendente e, concluindo, ter o superintendente duas empresas que prestavam  serviços para o hospital. Na minha visão administrativa isto é um pecado que leva ao inferno qualquer dirigente, sabendo-se ser uma ENTIDADE FILANTROPICA, em breve o Ministério Publico tomará as medidas cabíveis.

Será que é isto o que o senhor está planejando para o nosso hospital? Em isto acontecendo, não tenha dúvidas, serei um eterno opositor de tais opções. A propósito tenho documentos em minhas mão para, caso, o senhor queira tomar o devido conhecimento das minhas afirmações.

Para que não haja qualquer problema de ordem financeira, comunico que recebo R$ 10.000,00 ( dez mil reais ) brutos por mês para que eu execute os meus serviços no hospital e, por obra e graça do espírito santo, dê consultoria a secretaria da saúde SEMUS.

Acho que o senhor tem a obrigação de mostrar os seus ganhos diretos e indiretos – já é lei deputado.

07 – LEIS E ATOS PERFEITOS E IMPERFEITOS

Senhor deputado, a sua massa cinzenta não lhe confere o a condição de ler e entender o que se fala ou que se escreve, reconheço a sua deficiência. Provoco, no entanto que os seus assessores possam colaborar com o seu baixo intelecto e fazê-lo entender que fiz uma observação, hoje discutida por todos os municípios que formam a microrregião do piermonte norte do itapicurú. Não podemos ficar aqui esperando regulação de leitos para os nossos pacientes. Precisamos efetuar aqui os serviços que necessitamos. Talvez as escolas do Quiçé possam informa-lo melhor. Há sempre um tempo para tudo.

08 – DA ENTREVISTA.

A entrevista na rádio, nobre deputado, só fez detonar com mais rapidez as nossas posições. A educação manda que, caso o pedido tivesse sido feito pela SESAB, o Prefeito teria recebido uma correspondência identificando os fatos e os objetivos. Receio que a sua arrogância tenha ultrapassado ao próprio Secretario da Saúde do estado, pois este é detentor das nossas condições quando nos enviou o Dr. Angelo Castro Lima, ao qual recebemos com toda a responsabilidade e educação que o evento fez por merecer e, da nossa parte, fizemos-lhe  uma vista quando convocados. Mais uma vez o nobre deputado perfila-se àqueles dos que nada sabem, coisa normal no PT.

09 – REFORMA E AMPLIAÇÃO DO HDAM.

Caro deputado o senhor já leu a respeito, já disse aqui que o Estado nada deu para que montássemos o projeto, alias os projetos, todos ao um valor final de R$ 350.000,00. Convenhamos deputado, gastar R$ 350.000,00  sem o município tivesse em mão qualquer documento que lhe garantisse a feitura do projeto, isto para mim é piada pública. Acredito na boa fé das pessoas, mas não tanto.

10 – DA VAIDADE

O distinto deputado parece que não me conhece nem a meus irmãos, não temos este defeito, talvez até porque nunca quisemos ser determinados tipos de políticos. Nunca passou a nossa cabeça ser infiel aos nossos propósitos – o melhor para a população -, tão pouco o SINISMO de se achar o deus onipotente e onisciente como parece estar querendo ser o nobre candidato.

A vaidade é terrível, inicia-se quando um cidadão comum aproveita uma oportunidade justa e se faz prefeito, tem o governo nas mãos e consegue equilibrar as finanças do município. A população aprova, bate palmas e o sujeito pensa que é deus ( evidentemente com letras bem minúsculas ) e inicia trabalhos que só idiotas são passíveis de fazer. “A ideia é podar paus” e lá se vão folhas ao vento. Graças a DEUS havia a figura do  Lambaia que não deixou que isto acontecesse na praça da feira e, em pleno domingo.

11 – GERENCIA DO HOSPITAL

Caro deputado, se o senhor tivesse o conhecimento de como se gere uma casa comum, não precisaria procurar nenhuma empresa de fora. O orçamento é único, receitas e despesas. Se aumentarmos a nossa receita poderemos oferecer melhores serviços e melhores investimentos. Para seu conhecimento, este é o paradoxo, quanto mais receitas, mais e melhores serviços e maiores necessidades de recursos, tudo feito com honestidade e transparência. Como não recebemos nada do Estado, inclusive para fornecer estágios a enfermeiras da UNEB, ou, de outra forma, para ficarmos pagando a energia do HEMOBA, talvez a nossa situação não merecesse o viés dos déficites orçamentários encontrados. Isto vale também para a SEMUS sob o comando do PT e na pessoa da senhora Gorete. Nestes tempos sim, caro deputado, valia a pena a sua insurgência, pois a Prefeitura ficou com um rombo de quase R$ 2.000.000,00 e o senhor não se manifestou. Desculpe, jamais poderia se manifestar, a secretaria era do PT e com portas fechadas. Aqui vemos a negligencia e o medo.

12 – ADMIRAÇÃO E RESPEITO

Ótimo senhor deputado, infelizmente nem seus pares o quiseram como candidato do partido, mas, de qualquer forma, o GOVERNO PAULO MACHADO, AGORA SEM AMARRAS DO PT, provará que pode fazer o que o senhor não fez e muito mais.

A ideia pré-existente é de trabalhar juntos, construir juntos e não com degolas ou qualquer pito de deputado.

Abraços.

 

Humberto Dantas Santiago Júnior