*Carlos Alberto Pereira da Silva

O Brasil do período colonial era administrado pelo império português, entre o século XVI e XVIII, sobre um sistema que ficou conhecido como capitanias hereditárias. Trazendo alguns fatos de nossa atualidade política regional e até de Brasil, o que temos de semelhante para as eleições/2012, mais especificamente em municípios do Território Norte do Itapicuru? Será que mudou algo, ou será mera coincidência? Vejamos bem: No município de Filadélfia os ex-prefeitos, Louro Maia e Barbosa Santos, apresentam respectivamente seus filhos Marlos Maia e Barbosa Júnior como possíveis candidatos a prefeito. Em Ponto Novo o ex-prefeito Deto Venâncio apresenta seu filho Thiago Venâncio. Já em Jaguarari o ex-prefeito Edson Almeida, apresenta também seu filho Odilon Almeida. Vamos até Campo Formoso e o Deputado Estadual Adolfo Menezes apresenta sua irmã Rose Menezes. Mudamos de Estado e vamos até Fortaleza e o Deputado Federal Tiririca lança seu filho, neste caso a vereador o também palhaço Tirulipa (Everson Silva) e neste Brasil de meu Deus este fato de alastra. É… passaram-se alguns séculos(???), mas o nosso sistema político continua no passado. Apesar de ter sido abolida a hereditariedade, continuamos nos dias atuais com ela presente, não sabemos se com outra denominação como: nepotismo, afilhadismo, amiguismo, o certo é que não temos nenhuma proposta de retorno para a sociedade como um todo, mas apenas propostas restritas a determinados grupos. Aliás, temos sim a proposta de libertação através do voto, quando a sociedade tiver verdadeiramente consciência, para analisar todos estes fatos e consumar sua resposta nas urnas.

*Carlos Alberto Pereira da Silva (Betinho), Bacharel em Ciências Contábeis, Pós-Graduado em Administração Hospitalar, Pós-Graduando em Controladoria, servidor da UNEB há 21 anos, ex-vereador, Pregoeiro Oficial da Prefeitura de Andorinha/BA.