As eleições municipais se encerraram no dia 15 de novembro de 2020, mas continuam fazendo campanha e politicagem usando os servidores da saúde que mais sofreram e se dedicaram na guerra contra a covid-19. O pior que essa politicagem segue causando transtornos e prejuízos ao município de Jaguarari. Desde o primeiro dia 04 de janeiro a gestão já deveria ter efetuado os pagamentos dos servidores da saúde, mas até agora só desculpas infundadas.

Primeira desculpa foi que não havia saldo para o pagamento. Mentira! Todo o recurso do dia 31 e recurso do dia 10 que foram deixados para efetuar essas despesas, e todos sabem que recursos do dia 10 do mês subsequente são de competência da gestão anterior para pagar despesas do mês de dezembro.

A segunda desculpa foi que o sistema do RH estava zerado e não tinham como verificar a folha e os arquivos que ficaram para serem enviados aos bancos para realização dos pagamentos. Mais uma mentira, pois, o próprio vereador Soró, que trabalhava no RH confirmou em entrevista que deixou a senha com a nova diretora do RH, que se prontificou a verificar as folhas que se encontravam no sistema. Com os arquivos de transmissão existente no sistema do RH e extratos dos bancos, a contabilidade facilmente identificaria qual teria sido a folha paga e a que estaria pendente.

Por fim, nesta segunda-feira (25), mais uma vez a prefeitura publicou matéria e “relatórios” sem assinaturas dos devidos responsáveis afirmando que as contas não possuíam recursos necessários para o pagamento dos servidores da saúde. O engraçado é que na última semana o atual prefeito de Jaguarari, querendo dar um de “bom samaritano” anunciou que estaria “antecipando” o pagamento do mês de janeiro a todo funcionalismo, inclusive dos servidores da saúde, em vez de pagar o salário de dezembro. É de conhecimento de todos que os recursos de janeiro destinados para pagamento da saúde, só cairá no início do mês de fevereiro que nenhum município recebe esse recurso da saúde antecipadamente. Principalmente, recursos que são destinados a determinadas classes de servidores.

Ora, usar o recurso que ficou em conta que deveria pagar o mês de dezembro, ser usado para pagar a folha de janeiro “antecipadamente”, chega a ser piada.

Em contato com o ex-prefeito Everton Rocha, o mesmo afirmou que seus adversários ainda não desceram do palanque e insistem em atacar uma gestão que primou a valorização e respeito pelo servidor público. “É uma politicagem desnecessária. Acusações infundadas, com o objetivo de tentar manchar a imagem de uma gestão que valorizou como nunca os servidores municipais, efetuando pagamentos antecipados de salários e 13º, pagamentos de data base e concessão de reajustes salariais justos. Encerrei meu mandato de cabeça erguida e seguindo o que orienta a Lei de Responsabilidade Fiscal e o Tribunal de Contas da União. Paguei todo o funcionalismo, incluindo o 13º de todos os servidores. Ficou apenas o salario do mês de dezembro dos servidores da saúde que por conta de uma instabilidade do Banco não foi possível realizar no dia 31 ficando para a gestão atual pagar com os recursos deixados nas contas da prefeitura. Mas infelizmente insistem nessa historia pra enganar a população”, falou o ex-gestor.

Segundo o ex-prefeito Everton Rocha, a sua gestão sempre respeitou a lei e as determinações do TCM, como o prazo para a entrega da relação dos restos a pagar que se encerram no dia 31 de janeiro será respeitada. O que não estariam inclusa a folha de pagamento que se encontra no setor RH desde o inicio do mês.

Infelizmente, a gestão atual ainda não se deu conta que agora é hora de gestão e não de politicagem. É hora de ver a necessidade da população. Providenciar abastecimento de água. É hora de se preocupar com a covid-19 que ainda está matando muita gente, onde o município ainda não se preocupou em fazer se quer um decreto referente. É hora de fazer exames laboratoriais para a população, de fazer contratação de especialidades da saúde, colocar os PSF para funcionar com atendimento médico, e atender a cobrança da população que é retornar as cirurgias no centro cirúrgico que foi uma conquista da população Jaguarariense.