A Polícia Civil de Pernambuco enviou nota ao Blog GJ Notícias atendendo solicitação da reportagem com relação ao andamento das investigações do Caso Beatriz. De acordo com a nota a “Polícia Civil diz que Caso Beatriz corre sob segredo de Justiça e tem plena confiança que o caso será elucidado”. Beatriz foi assassinada em dezembro de 2015, dentro da Escola Auxiliadora, em Petrolina. Até o momento ninguém foi preso e um dos prestadores de serviço da escola, acusado de apagar as imagens do sistema de segurança está foragido.

Em janeiro de 2018, com exclusividade a este Blog o médico legista e professor George Sanguinetti, disse “que a imagem de um provável suspeito de matar a menina Beatriz em Petrolina é muito pouco para uma investigação. “O tempo que passa é a verdade que foge”, declarou Sanguinetti. Esta semana através dos meio de comunicação a mãe de Beatriz, Lúcia Mota criticou o Governo de Pernambuco pela demora em o “caso ter uma solução”.

“Há mais de dois anos ocorreu o crime hediondo. Durante uma comemoração de formatura, num tradicional colégio católico de Petrolina, estavam presentes os pais, amigos e uma grande quantidade de pessoas, entre as quais educadores, alunos, familiares e pessoas da comunidade.

Confira nota na integra:

A Polícia Civil de Pernambuco entende a emoção e dor dos familiares da menina Beatriz Mota e reitera o compromisso de todas as forças de segurança do Estado, conforme afirmação do governador, para a elucidação do caso.

O inquérito hoje conta com 19 volumes e mais de 4 mil páginas com diligências sobre essa caso que desafia pela sua complexidade a PCPE, corporação que possui hoje uma das melhores taxas de resolução de homicídios do Brasil, que é 6,7 vezes maior que a média nacional.

Foi designada a delegada Polyana Neri para tratar exclusivamente do caso com equipe de policiais e estrutura necessária, além de contar com o apoio do Ministério Público e da Diretoria de Inteligência da PCPE. Ao longo do caso, avanços foram obtidos como a divulgação da imagem do suspeito. Essa imagem foi resultado do trabalho de peritos do Instituto de Criminalística (IC) para que a tornassem o mais clara possível, possibilitando a visualização das características do homem.

Não é possível fornecer mais detalhes sobre a investigação porque o trabalho corre sob segredo de justiça.

Apesar dos desafios, a PCPE tem plena confiança que o caso será elucidado, trazendo justiça e paz para os familiares e amigos de Beatriz Mota.

Redação BloG DO Geraldo José
 Foto: Ney Vital
Compartilhe isso