Imóveis Rurais de 200 agricultores familiares, de 17 comunidades, do município de Filadélfia, Território de Identidade Piemonte Norte do Itapicuru, estão sendo georreferenciados. A ação faz parte do Projeto de Regularização Fundiária Bahia Mais Forte, Terra Legal, executado pela Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável Piemonte Norte do Itapicuru.

O Bahia Mais Forte, Terra Legal dá oportunidade aos agricultores familiares terem o título de terra, documento que garante a segurança jurídica sobre a propriedade, dentre outros benefícios, possibilita o acesso ao crédito rural para incremento da produção. Por meio do projeto, já foram realizadas as medições de imóveis rurais nos municípios de Andorinha, Antônio Gonçalves, Caldeirão Grande e Senhor do Bonfim .

Erasmo Lopes Antunes, agricultor familiar da Fazenda Morros, situada no município de Filadélfia, considera que “este título de terra é o documento mais importante que devemos ter. Moro há mais de 40 anos nesta terra, onde constituímos nossa família e plantamos milho, feijão, mandioca, melancia e mamona”.

Kelly Estephany Almeida de Lima, coordenadora geral no âmbito da parceria, prevê que o Projeto irá mudar a realidade de vida das 2 mil famílias de agricultores baianos familiares do seu território.“A maioria dos agricultores do nosso território não acessam políticas públicas que incrementam a sua produção por não possuírem o título. Ele traz o reconhecimento que é o dono de direito da terra, favorecendo a melhoria de produção, possibilitando a sucessão rural e reconhecendo a sua aposentadoria.”

Fotos: Consórcio de Desenvolvimento Sustentável Piemonte Norte do Itapicuru/ Divulgação