O Minuto Bahia, teve acesso exclusivo, ao depoimento de uma das servidoras “Fantasmas”, envolvidas no suposto esquema montado pelo presidente da Câmara de Vereadores de Jaguarari, Marcio José Gomes de Araújo, onde a suposta servidora “fantasma”, Flávia Reis da Silva, que foi nomeada pelo presidente no cargo de assessora legislativa, sem nunca ter trabalhado, relata com riquezas de detalhes como o presidente montou todo o esquema criminoso, lesando os cofres públicos, em proveito próprio e de terceiro, depoimento este que encontra-se nos autos do processo da Ação Civil Pública nº.  8000502.26.2018.8.05.0139, proposta pelo Ministério Público de Jaguarari, que requer a perda do mandato do presidente, bem como o seu imediato afastamento da Presidência e de vereador, além da perda dos direitos políticos de 8 a 10 anos, indisponibilidade dos bens, multa de 3 vezes o valor do dano ao erário, proibição de contratação com o poder público por 10 anos, etc.

No depoimento abaixo, a servidora fantasma Sra. Flavia Reis da Silva, mostra todo o percurso, da nomeação, até o destino final, do suposto uso ilegal do dinheiro público pelo presidente da câmara, Marcio José Gomes de Araújo, quando foi ouvida no Ministério Público, vejamos abaixo o depoimento da própria Servidora ao promotor de Justiça:

“QUE FOI EMPREGADA DE RIACHÃO DO JACUÍPE POR 4 ANOS, TENDO PEDIDO DEMISSÃO EM JUNHO DE 2017; QUE PEDIU DEMISSÃO POIS FOI LHE OFERTADA NOVA OPORTUNIDADE DE EMPREGO;QUE ATUALMENTE TRABALHA EM UMA LANCHONETE EM RIACHÃO DO JACUÍPE; QUE NUNCA PRESTOU SERVIÇOS A CÂMARA DE VEREADORES DE JAGUARARI; QUE SOMENTE CONHECEU A CIDADE DE JAGUARARI NA DATA DE HOJE; QUE A ÚNICA PESSOA QUE CONHECE EM JAGUARARI É A PESSOA DE MARCIO JOSÉ GOMES DE ARAÚJO; …QUE MARCIO JOSÉ GOMES DE ARAÚJO, COMPARECEU NA LOJA VIVO NO COMEÇO DE 2017, EM RIACHÃO DO JACUÍPE  E INFORMOU QUE TINHA INTERESSE NUM PLANO EMPRESARIAL DA VIVO; … QUE INICIALMENTE MARCIO ADQUIRIU DUAS LINHAS, UMA PARA ELE E OUTRA PARA ESPOSA; QUE POSTERIORMENTE MARCIO ENTROU EM CONTATO E ADQUIRIU MAIS LINHAS, NUM TOTAL DE R$ 1.800,00 (Um mil e oitocentos reais) MENSAIS; QUE FICOU ACERTADO DE MARCIO DEPOSITAR O DINHEIRO NA CONTA PESSOAL DA TESTEMUNHA (FLAVIA REIS DA SILVA), QUE SACAVA E PAGAVA O BOLETO; QUE NÃO SABIA QUE MARCIO HAVIA INSERIDO SEU NOME NA FOLHA DE PAGAMENTO DA CÂMARA DE VEREADORES; QUE POR OCASIÃO DA CONTRATAÇÃO MARCIO PEDIU QUE FOSSE O SEU CPF E CONTA BANCARIA, COM FINALIDADE DE REALIZAR OS TEDs MENSAIS; QUE ENTREGOU SEUS DADOS PESSOAIS APENAS COM O OBJETIVO DE PERMITIR A TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA E EFETUAR O PAGAMENTO DA CONTA; QUE RECEBEU O VALOR APROXIMADO DE R$ 1.800,00 ( UM MIL E OITOCENTOS REAIS) MENSAIS, EM SUA CONTA BANCÁRIA NA CEF, ATÉ O MOMENTO EM QUE PEDIU DEMISSÃO DA VIVO; QUE A PARTIR DE JUNHO DE 2017, MARCIO PASSOU A EFETUAR OS DEPÓSITOS NA CONTA DE JACIRA DOS REIS SOUZA, FUNCIONÁRIA DA VIVO EM RIACHÃO DO JACUÍPE; QUE SOUBE QUE CONSTAVA DA FOLHA DE PAGAMENTO DA CÂMARA DE VEREADORES EM JANEIRO DE 2018, ATRAVÉS DE NOTICIA DA RÁDIO LOCAL E DE BLOGS REGIONAIS; QUE NUNCA ASSINOU QUALQUER DOCUMENTO A PEDIDO DE MARCIO; QUE SOMENTE ENTREGOU OS DADOS AO PRESIDENTE DA CÂMARA COM A ÚNICA FINALIDADE DE FACILITAR O PAGAMENTO  DA FATURA DO TELEFONE; QUE NÃO SABE COMO MARCIO CONSEGUIU INSERI-LA NA FOLHA DE PAGAMENTO”. Depoimento da servidora “fantasma” Flávia Reis da Silva no MP.

O depoimento da servidora fantasma, mostra a pratica ardilosa de fraudar os cofres públicos, não só para benefício pessoal, mas também familiar e de terceiros. A testemunha e ou servidora fantasma, Sra. Flávia Reis da Silva, deixa claro que o presidente utilizou-se do dinheiro público, para dar o plano corporativo primeiro, para a esposa dando continuidade a sua ação delitiva, utilizando-se dos recursos públicos, para então alcançar os vereadores, diretor de contabilidade, mais “chegados” como informa o membro do Ministério Público na ação, na velha e malfadada pratica ilegal e imoral dos “MIMOS”, às custas do dinheiro do povo.

Esse depoimento bombástico da servidora fantasma, ratifica totalmente a confissão do presidente, todavia, não forneceu a riqueza dos detalhes do crime, tal qual o depoimento da testemunha, que certamente o fez por esta isenta de pressões e ou subordinações ao Presidente.

É importante destacar que atualmente os demais servidores da casa do legislativo, estão em grau hierárquico de subordinação ao chefe do legislativo, sendo inclusive esse um dos tantos fundamentos, utilizados pelo Ministério Público, para que Marcio Gomes seja afastado de imediato da presidência da Câmara de vereadores e da vereança, para que a instrução processual seja isenta, como deve ser e como manda a lei, sem citar os inúmeros processos e procedimentos contra o mesmo, que também envolvem lesão ao Erário Público.

A referida Ação Civil Pública, esta conclusa desde a ultima sexta-feira, 17, restando a excelentíssima juíza da comarca local se manifestar no processo. A população de Jaguarari aguarda ansiosa pela decisão da Justiça, bem como toda a região circunvizinha que vem acompanhando de perto o sofrimento dos munícipes de Jaguarari, no momento em que o país clama por limpeza na política e que foi exaustivamente pronunciado pelo promotor de justiça em sua ação, tal qual o trecho que segue;

Desta feita, a punição é absolutamente necessária e deve ser exemplar, ainda mais num momento em que o país encontra-se mergulhado num lamaçal de corrupção, onde se busca o resgate da seriedade com o trato da coisa pública, objetivando a probidade dos agentes públicos e a responsabilização dos entes descumpridores de seus deveres legais e morais.”

Portal Minuto Bahia