Já surtiu efeito a mobilização dos médicos do Samu de Senhor do Bonfim. Na sexta-feira (16). A Prefeitura anunciou que a renovação dos contratos será feita nos mesmos moldes anteriores, mantendo o patamar de remuneração que vinha sendo praticado. Isso após os gestores terem anunciado redução no pagamento dos plantões de fevereiro.

A atuação imediata do Sindimed questionando a redução anunciada foi fundamental para o recuo da Prefeitura. O Sindicato enviou ofício ao prefeito e ocupou espaços nas rádios locais denunciando a tentativa de rebaixamento dos salários.

O corte programado ultrapassava os 10% de perda, impactando fortemente a remuneração dos profissionais, o que levou os médicos a anunciarem a firme disposição de pedir demissão coletiva, caso o pagamento de fevereiro já viesse reduzido.

Os contratos de prestação de serviços do pessoal do Samu são temporários e renovados a cada três meses. A renovação deveria ter ocorrido em janeiro e vinha sendo adiada, provavelmente, por conta da intenção de rebaixamento da Prefeitura, o que, neste momento, foi afastada.

Mesmo diante da ameaça, os plantonistas optaram por trabalhar todo o mês de fevereiro em respeito à população e partiram também para a mobilização, o que foi fundamental para reverter o corte programado pelos gestores.

Superada a ameaça, entretanto, a mobilização deve prosseguir, no sentido de melhorar a estrutura precária de trabalho que existe hoje. Entre os problemas citados, os profissionais reclamam a falta do café da manhã e até mesmo água para consumo próprio, que eles precisam comprar.