Sinal Verde para a Inclusão! A Secretaria de Educação realizou nesta segunda-feira (18), no Polo UAB, a abertura da semana de valorização da pessoa com deficiência. Durante o evento, o público pode conferir o recital da poesia “Deficiências” de Mário Quintana interpretado pelo professor José Armando de Brito e a coordenadora Orjânia Maria de Castro, além de se emocionar com a apresentação “Borboleta Pequenina” com as alunas Sara e Marciana da sala de recursos da escola José Barreto Filho, orientada pela professora Milena Sandra.

O encontro ainda contou com as palestras: “POTENCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA” ministrada pelo Secretário Desenvolvimento Agrário, Econômico e do Turismo, Hélio Alves; TRANSTORNOS MENTAIS MAIS COMUNS NA INFÂNCIA conduzida pelo psicólogo ROBERTO PEREIRA DE ALMEIDA FILHO e a IMPORTÂNCIA DA HIGIENE BUCAL com a dentista do NASF (Núcleos de Apoio à Saúde da Família), RAYSA HELLEN GOMES DA SILVA.

A programação em alusão ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência segue durante toda essa semana com seminários, oficinas, palestras e outras ações. A culminância do projeto acontecerá no dia 22 de setembro, com um momento de lazer e bem fazer para as mais de 300 crianças que apresentam um certo tipo de deficiência no município.

BREVE HISTÓRICO DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO MUNICÍPIO

A primeira equipe de coordenação pedagógica de Educação Inclusiva surge no ano de 2000 a partir de uma nova estrutura da Secretaria de Educação com a as professoras Valdênia Viana e Maria Gardênia Oliveira tendo como suporte principal dessa modalidade o Centro Tatiana Morais Santana que já atendia diretamente crianças com deficiência.

Essa coordenação surgiu com a necessidade de apoiar os alunos que ingressavam na rede regular de ensino a partir das observações e triagens feitas pelos professores e profissionais do Centro Tatiana, de acordo com a série adequada para cada aluno já “trabalhado “socialmente e assim apto a escola comum. Essa coordenação apoiava e orientava os professores que atendiam esses alunos com visitas esporádicas nas unidades escolares.

Em 2005 surge a proposta de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva e assim, todos os alunos com deficiência passam a frequentar o ensino regular sem a necessidade de um apoio institucional.

Em 2008 surge a proposta das Salas de Recursos multifuncionais atendendo à necessidade histórica da educação brasileira, de promover as condições de acesso, participação e aprendizagem dos alunos alvo da educação especial no ensino regular, possibilitando a oferta do atendimento educacional especializado, de forma não substitutiva à escolarização. As duas primeiras chegadas no município foram no colégio José Telesphoro e na escola Antônio Ferreira através de um projeto da professora Valdenia Viana de Oliveira.

Em 2010, o MEC lança a proposta de ampliação das Salas de Recursos no programa PROINFO e atualmente são solicitadas através do PAR.  Nosso sistema escolar modificou-se com a proposta inclusiva da implantação das Salas de Recursos Multifuncionais nas demais escolas comuns da rede pública de ensino. Mas o município já investia em políticas inclusivas com a manutenção do Centro Tatiana Morais de Santana para o atendimento dessa clientela.

Hoje, o município conta com dezesseis salas de recursos sob a coordenação pedagógica da professora Luciene Nunes e Ana Mara Firmino em que atende um universo de 300 alunos distribuídas da seguinte forma: 04 na sede (Escola José Barreto Filho, Escola Antônio Ferreira, Escola Samuel Galvão e Colégio José Teles foro); 12 no interior (São Tomé, Brejão da Caatinga, Lagoa da Barra, Araras, Pacui, Curral Velho, Tuiutiba, Poços, Caraíbas, Lagoa do Porco, Varzinha, Lages) e o Centro Tatiana de Moraes.

Prefeitura de Campo Formoso – Cidade em Transformação