ABTEC NOTAS RÁPIDAS Nº22

AÇÃO CIVIL PÚBLICA SEGUE PARA JULGAMENTO

 

Após cinco rodadas de negociações frustradas, por conta da intransigência do Governo do Estado da Bahia em decidir pela continuidade do massacre contra pais e mães de famílias, o processo da Ação Civil Pública (ACP) impetrado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) após denúncias da Associação Baiana dos Trabalhadores da Ebal/Cesta do Povo (ABTEC) segue para julgamento.

Em 05 de setembro de 2017, na sala de sessões da MM. 28ª Vara do Trabalho de Salvador-BA, do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região, sob a direção da Exmo. Juíza Marylucia Leonesy da Silveira, realizou-se audiência de instrução relativa ao processo da ACP de autoria do MPT.

O Governo do Estado da Bahia sequer compareceu na audiência de instrução na justiça do trabalho. A procuradora do Ministério Público do Trabalho Exmo. Drª Aline Cunha reforçou o pedido de reintegração dos 1.700 empregados públicos demitidos por parte da Empresa Baiana de Alimentos (EBAL S.A) tendo em vista que as demissões ainda estão ocorrendo, mesmo após o ajuizamento da ACP.

Importante afirmar que a Associação Baiana dos Trabalhadores da Ebal/Cesta do Povo está acompanhando todo o processo de luta, e repudia a postura autoritária do governador Rui Costa (PT) em massacrar os empregados públicos do Estado da Bahia através da medida mais ameaçadora contra qualquer trabalhador: A DEMISSÃO.