© Marcelo Camargo/Agência Brasil Investigações apuram se a propina entregue ao deputado foi repassada ao presidente Michel Temer

Quando o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi flagrado na porta de uma pizzaria, na zona sul de São Paulo, com uma mala contento R$ 500 mil, no dia 28 de março, ele olhou para os dois lado e, em seguida, seguiu em direção a um táxi que o esperava.

De acordo com informações do blog de Matheus Leitão, no portal G1, a Polícia Federal busca, agora, encontrar este taxista, com o intuito de avançar nas investigações.

A mala foi entregue por um executivo da JBS, para que o peemedebista defendesse interesses da empresa em um processo em tramitação no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

As investigações apuram se a propina entregue a Rocha Loures foi repassada ao presidente Michel Temer. Em depoimento à Procuradoria Geral da República, o executivo Ricardo Saud, da holding J&F, que controla a JBS, afirmou ter “certeza absoluta” que o dinheiro foi destinado a Temer.