Nessa nova fase a PF investiga alvos ligados a Renan Calheiros, Eunício de Oliveira, Humberto Costa e Valdir Raupp

Uma nova etapa da Operação Lava Jato está em andamento na manhã desta terça-feira. Autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), essa fase prevê catorze mandados de busca e apreensão em treze endereços, em Recife, Maceió, Salvador, Rio de Janeiro e no Distrito Federal.

Os alvos desta etapa não são políticos, mas pessoas ligadas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Humberto Costa (PT-PE), Eunício Oliveira (PMDB-CE) e Valdir Raupp (PMDB-RO). Esta fase tem relação com a delação de executivos da empreiteira Odebrecht, ainda sob análise do ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo.

Em Pernambuco, um dos alvos é Mário Barbosa Beltrão, empresário ligado ao senador Humberto Costa. O material apreendido na residência do empresário deve ser levado para análise em Brasília. Segundo a delação premiada do ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, Beltrão seria o operador de propinas para o petista.

Na ocasião, o senador informou, em nota, que “todas as doações de campanha que recebi na minha candidatura ao Senado em 2010 foram feitas de forma legal, transparente, devidamente declaradas e registradas em minha prestação de contas à Justiça Eleitoral”. Ele também negou que tivesse qualquer relação com o ex-diretor Paulo Roberto Costa.

Procurados pelo site de VEJA, os senadores Valdir Raupp e Renan Calheiros aguardam mais informações sobre as investigações para comentar. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, ainda não havia adotado uma posição. Ele estará em uma reunião de líderes no Senado às 11h e deve se manifestar antes do encontro. O senador Humberto Costa está reunido com seus advogados e vai se posicionar a respeito. O advogado de Mário Barbosa Beltrão ainda não foi encontrado.