Apuração tem prazo de 90 dias e prefeito Marlos André(PT) pode ser afastado.
Acusações feitas por moradora abordam problemas de licitações e repasse.

Marlos 1                                                                                   Marlos André(PT)

A Câmara Municipal de Vereadores de Pindobaçu abriu uma Comissão Especial de Inquérito (CEI), na noite de sexta-feira (10), para apurar  denúncias de supostas irregularidades na Prefeitura apresentadas ao Legislativo pela moradora Edinalva Souza Ferreira Santos.

As acusações serão investigadas no prazo de 90 dias. O prefeito Marlos André (PT) pode ser afastado do cargo caso não ajude nos esclarecimentos. A Prefeitura informou que o chefe do Executivo ainda não foi notificado oficialmente.

A comissão  criada  terá como presidente o vereador Carlos José(Careca), Jairo Amorim, relator e Jarlane Menezes membro. Os suplentes são os vereadores Henrique Lopes e Nazinha Oliveira.

Segundo a denunciante um verdadeiro ‘esquema’ teria sido montada na prefeitura com objetivo de fraudar licitações  e  desviar recursos públicos. Na denúncia que também foi encaminhada para a Polícia Federal em Juazeiro e Ministério Público Federal, em Campo Formoso, foram narrados fatos que relatam que o esquema formado tinha o objetivo de pagar altas cifras a uma empresa vencedora de uma licitação considerada forjada e criada 33 dias antes do processo licitatório.

A empresa denunciada CRS Transportes, é acusada de ter recebido mais de três milhões de reais para prestar serviços diversos na área de educação, principalmente no transporte escolar.

Ednalva                                               Edinalva Ferreira, denunciante

A denunciante também apresentou outras denuncias de supostas irregularidades cometidas pela administração petista em Pindobaçu.