Durante reunião ocorrida na Promotoria de Justiça de Senhor do Bonfim noite desta segunda-feira (12), a greve dos servidores do Hospital Dom Antônio Monteiro foi encerrada após o Instituto Bonfinense de Assistência e Promoção Social (IBAPS), entidade administrativa do hospital, com intervenção do município de Senhor do Bonfim e o Sindicato (SINDISAÚDE) chegarem a um acordo através da assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

A reunião, mediada pelo Sr. Promotor de Justiça de Senhor do Bonfim, Rui Gomes Sanches Jr e pelo Exmo. Senhor Procurador da República, Elton Luiz Freitas Moreira, contou com a presença do Procurador Jurídico, Antônio Gonçalves Filho e da Secretária de Saúde, Ana Laura Curci, representando o município de Senhor do Bonfim, com a presença do Diretor Administrativo do Hospital Dom Antônio Monteiro, Roberto Novaes, além de representantes do SindiSaúde, Mara Libsoa e Antônio Marcos Nascimento.

Ficou acordado entre as partes que o Hospital Dom Antônio Monteiro, implementará, na folha funcional do mês de Janeiro/2015, com início do pagamento no mês subsequente, os reajustes pactuados nas convenções coletivas 2013/2014, celebrados pelo SINDISAÚDE e o reajuste do valor do salário mínimo, que já é automático; o décimo-terceiro salário dos profissionais daquela casa de Saúde, devido o ano de 2014, será pago, a partir do mês de Fevereiro de 2015, em sete parcelas mensais e iguais, para os funcionários cujo salário líquido seja igual ou inferior a R$ 1.500,00, enquanto que para os demais, deverá ser dividido em 10 parcelas mensais e iguais.

Por fim, o IBAPS, no intuito de sanear as contas do Hospital Dom Antônio Monteiro e viabilizar a sua recuperação financeira, garantindo maior possibilidade de honrar obrigações trabalhistas, além de outros compromissos essenciais ao seu funcionamento, realizará algumas medidas para buscar a redução de despesas. O Município de Senhor do Bonfim coloca-se como garantidor desse acordo, com o intuito  de que não haja nenhum descumprimento.

A Secretária de Saúde, Ana Laura Curci, destaca que o acordo só foi possível diante do compromisso do Hospital Dom Antônio Monteiro em reduzir suas despesas. “O acordo só pôde ser feito após pensarmos em diversas formas de diminuir de forma drástica as despesas daquela Casa de Saúde, pois a dificuldade em arcar com todas as obrigações financeiras é enorme; ficamos satisfeitos com o encerramento da greve para que possamos ofertar o serviço de saúde que está ao nosso alcance para a população”, conclui.