Defensor da contratação de médicos estrangeiros para atuarem no Brasil, o deputado federal Amauri Teixeira (PT-BA) se exaltou durante debate, na manhã desta quarta-feira (3), na Comissão de Seguridade Social da Câmara sobre a importação de profissionais da área. O parlamentar baiano sugeriu que indignação da oposição frente à proposta deveria ser direcionada ao hábito de médicos que, segundo ele, abandonam plantão para irem a festinhas. “Não vejo essa mesma indignação, essa mesma ênfase de condenar quem deixa de dar plantão médico para estar em festinha”, afirmou Teixeira, que foi interrompido em seu discurso. “Onde já se viu isso! Em que país nós estamos”, bradou o deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS).  Outro parlamentar, Darcísio Perondi (PMDB-RS), chegou a pedir ao presidente da comissão, Doutor Rosinha (PT-PR), que esse trecho do discurso de Amauri Teixeira fosse excluída da ata. Correligionário do deputado baiano, Rosinha saiu em defesa de seu colega petista e negou aparte, naquele momento, aos contestadores de Teixeira. “Não tem aparte. Respeito ao deputado que está falando. Há disputa política? Há. Mas também há respeito e educação com os deputados. Tem gente aqui se achando superior aos outros”, declarou Doutor Rosinha. Amauri Teixeira alegou que os oposicionistas são contrários à contratação de médicos cubanos devido a uma “paranoia ultradefasada da guerra fria” e disse que é dificílimo contratar médicos no interior da Bahia. (BN)