adutora ponto novoadutora ponto novo 1

Trecho final da tubulação e quatro estações de bombeamento estão sendo implantados para garantir continuidade do abastecimento de água

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) retomou a construção da adutora do Sistema Integrado de Abastecimento de Água (SIAA) Ponto Novo–Senhor do Bonfim para atender, com água da Barragem de Ponto Novo, as cidades de Senhor do Bonfim e de Jaguarari, que enfrentam um severo racionamento na distribuição de água potável e canalizada por conta da estiagem que, praticamente, exauriu os mananciais que abastecem a região.
Com a conclusão dos 4,3 quilômetros finais da adutora, cujo contrato foi firmado mediante dispensa de licitação por conta de seu caráter emergencial, a obra vai garantir a continuidade do serviço de abastecimento de água nas duas sedes municipais. Com uma extensão total de 51 quilômetros da adutora, o trecho será ligado aos 46,7 quilômetros de tubulação que já foram implantados pela Embasa.
Além da adutora, também está prevista a construção de quatro estações de bombeamento, equipamentos que vão aduzir cerca de 140 litros por segundo de água bruta da Barragem de Ponto Novo até a Estação de Tratamento de Água (ETA) de Senhor do Bonfim. A previsão é de que o empreendimento seja concluído em maio deste ano. O investimento total é de cerca de R$ 40,4 milhões e vai beneficiar mais de 113 mil pessoas.
“A Bahia atravessa a pior seca dos últimos 50 anos e a região de Senhor do Bonfim é uma das mais afetadas. O Governo do Estado, entendendo a importância de assegurar o abastecimento de forma sustentável, já tinha contratado a obra de para atender esses municípios. Entretanto, ela foi paralisada por incapacidade da empresa inicialmente contratada de concluí-la. Diante da crise que estamos vivendo e a possibilidade de colapso dos mananciais do Prata e do Aipim, essa obra vai assegurar o fornecimento de água para essas cidades”, diz o diretor de Operação e Expansão Norte da Embasa, Eduardo Araújo.
Seca – Integrando as ações do Governo do Estado no enfrentamento aos efeitos da seca, a Embasa está realizando ações nos sistemas de abastecimento de água de 93 municípios que estão em situação mais crítica. As ações totalizam cerca de R$ 994 milhões, sendo R$ 270 milhões de recursos próprios da empresa e R$ 724 milhões recursos dos Ministérios da Cidade e da Integração Nacional. Além de obras de caráter estruturante como as adutoras do Algodão, de Pedras Altas e do São Francisco, a empresa tem ações de caráter emergencial como integração de sistemas de abastecimento com disponibilidade hídrica aos sistemas que se encontram em colapso, abastecimento alternativo por meio de carros-pipa e colocação em funcionamento de poços que apresentaram água com qualidade apropriada para consumo humano.

 

Ascom Embasa