agua 1

 

A cidade de Senhor do Bonfim está localizada no sopé sul da Serra do Gado Bravo, extensão da chapada diamantina com a cordilheira do espinhaço, o que lhe caracteriza como microclima. Nos seus domínios, encontram-se várias nascentes de rios, todos pertencentes à bacia do Rio Itapicuru. Existem vários açudes no município: Açude do Sohen, Açude da Quicé, Açude da Boa Vista e Açude do Prata que ajudam a minorar a falta de água nos tempos de seca. Porém, esse fenômeno atípico de estiagem que assola o nordeste é incomum. Podemos, devido a isso, afirmar que esta é a maior seca dos últimos cinquenta anos e vem preocupando os moradores desta cidade que não conseguem enxergar uma solução no que diz respeito ao abastecimento de água principalmente para o consumo humano.

 

O Prefeito de Senhor do Bonfim, Sr. Dr. EDIVALDO MARTINS CORREIA, preocupado com o bem estar de seus munícipes, solicitou à Secretaria Municipal de Agricultura que fosse feito um pré-estudo dos aquíferos subterrâneos nas zonas de maior probabilidade as vazões em poços tubulares.A equipe liderada pelo Secretário de Agricultura do município, o Sr. DÂMASO ROCHA, prontamente realizou “in loco” o pré-estudo da região determinada e apresentou o relatório com as possíveis soluções.

 

JUSTIFICATIVA PARA AS PERFURAÇÕES – A água é um bem natural escasso no Nordeste semiárido brasileiro. Nossa cidade apresenta, segundo o IBGE, uma população estimada de 74.419 mil habitantes e uma área de 827 km2 sendo que, aproximadamente, 30% vivem na zona rural do município, “Com a perfuração de pelo menos seis poços tubulares de alta vazão (com aproximadamente 50 Metros Cúbicos/hora), teremos um volume de água de 300 Metros Cúbicos/hora. Se estes poços forem bombeados doze horas por dia, teremos 3.600 Metros Cúbicos/dia. Isso significa que teremos 3.600.000 Litros de água. E, segundo a CAR – Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional, considerando que o regime de abastecimento racionado de água é de 40 litros por dia, poderemos atender 90.000 pessoas por dia. Diante do exposto, sugiro a análise dos custos destes poços e a viabilização de projetos junto ao Governo Estadual”, concluiu Damaso.

 

ASCOM/Senhor do Bonfim-BA