adesb 1

Repesentante da ADESB fez duras críticas a Paulo Machado

Embora tivesse escolhido silenciar a partir de sua saída do Executivo Municipal, para não atrapalhar o novo governo de Dr. Correia, o ex-prefeito Paulo Machado, considerando o que vem sendo divulgado na mídia e em meio à população bonfinense e regional, julga por bem vir a público colocar alguns pontos que julga necessários neste momento, a saber:

1.   “Fizemos uma transmissão tranqüila e aberta, abrindo as portas de secretarias e do governo ao que nos fora demandado pela Comissão nomeada por Dr. Correia;

2.   Os nossos atos oficiais, até mesmo a compra de uma agulha, foram publicados no site da Transparência Municipal, nada estando oculto aos cidadãos bonfinenses;

3.   Pagamos regiamente salários e 13º salário dos servidores  a cada dia 30 do mês, durante três anos e 11 meses; demos vantagens que não eram comuns na administração municipal;

4.   Pagamos o 13º  salário em dezembro, no prazo legal;

5.   Ocorre que não tivemos os recursos suficientes para o pagamento do salário de dezembro, embora o prazo legal, de cinco dias úteis após o último dia do mês, se encerre neste dia 09 de janeiro. Se não honramos este último pagamento, não o fizemos por incúria: a margem de remanejamento de recursos e rubricas não existia, por ser o último mês de meu mandato, e isto impediu o referido pagamento;

6.   A ADESB sabe, e por nós foi chamada a negociar, porque a partir de outubro a folha foi aumentada em 700 mil reais, já que entrou em execução o aumento de 35% para os professores do nível médio, pois Lei Federal e Municipal exigiam que a diferença de salários entre o Nível Médio e Nível Superior dos professores  não poderia ser menor que 30% (A Câmara fez emenda colocando mais 5% nesta vantagem, aumentando ainda mais o problema). Tentamos convencer a Adesb a re-negociar, parcelando essa vantagem, já que o impacto na folha da educação era insuportável e isto não foi aceito. O novo prefeito terá problemas sempre de pagamento dos professores, porque a folha está bem acima de um milhão de reais;

7.   Ao dizer que entraram recursos do Fundeb o seu Presidente esqueceu de dizer que pagamos em dezembro a folha extra do 13º. Salário, ou seja uma folha a mais;

8.   Quanto ao anúncio de que o Governo que se retirava deixou apenas pouco mais de cem reais na conta Bradesco, é justo considerar que deixamos recursos em outras contas: a) no dia 02 de janeiro entraram,na Saude,  como recursos de 2012, quase um milhão e meio de reais, e mais de quatrocentos mil reais devem ser repassados por estes dias pelo Governo do Estado; b) Deixamos aproximadamente 600 mil reais do Fundeb, e 200 mil reais para a merenda escolar, na educação, além de termos deixado merenda escolar em estoque, móveis e amplo material didático; c) Deixamos nas contas da Assistência Social recursos suficientes e intocados  que devem ser utilizados em seus diversos programas: PETI, PROJOVEM, IGD SUAS (Bolsa Família) entre outros; d) há recursos devidos da União que deverão entrar ainda, como sempre, com atraso; e) Há diversas obras concluidas ou em andamento, a serem inauguradas pela nova gestão municipal;

9.   Até o final de janeiro o antigo governo ainda estará montando os seus processos, formatando as suas finanças e dando cores definitivas às suas finanças. Sala especial foi montada com ex-funcionários que encaminharão ao Tribunal de Contas e ao novo governo todas as informações finais, que ainda se encontram em andamento. Logo, é bom que se diga que qualquer acusação tanto ao ex-prefeito Paulo Machado  como ao novo prefeito Dr. Correia são precoces e não há ainda elementos suficientes para avaliações maiores tanto da antiga administração quanto da recém-empossada administração. Diga-se também que débitos como o da Folha de dezembro serão contabilizados como DEA (Despesas de Exercício Anterior) e não como despesas do atual prefeito;

10.               Por fim, conhecedor da idoneidade e espírito de justiça de Dr. Correia, tenho a certeza de que não concorda ele com as açodadas acusações que visem deslustrar a minha honra e a seriedade dos que durante quatro anos lutaram com muita dificuldade para manter a máquina municipal em funcionamento;

11.               Peço de público desculpas aos servidores municipais, especialmente ao SISMUSB e à ADESB aos quais nunca prejudiquei ao longo de minha administração: todos somos vítimas de um governo federal que nos enche a todos de tarefas e responsabilidades financeiras impossíveis, enquanto destina ao município uma ínfima parcela dos impostos da Nação;

12.               Peço também desculpas a Dr. Correia, pelos problemas decorrentes de uma administração que sempre trabalhou no vermelho: tenho a certeza de que este governo será melhor aquinhoado do que o meu. Afinal estivemos entre os 90% dos municípios baianos que declararam falência todo o tempo.”

Com esta nota, retorno ao meu silêncio obsequioso que deva acontecer, para que o novo governo municipal e Senhor do Bonfim tenham o cima indispensável à continuidade de seu crescimento”, concluiu Paulo Machado.