Um encontro na sede da Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa), aconteceu das 14h às 18h, na unidade de negócio de Sr do Bonfim, na terça-feira (8), com a presença de vários prefeitos. Na pauta das discussões os problemas causados pela escassez de água nos Mananciais  que abastecem milhares de pessoas na região.

A reunião a portas fechadas e sem acesso dos meios de comunicação,  contou com a presença dos prefeitos de Campo Formoso, Jaguarari, Itiúba,  Antônio Gonçalves, Senhor do Bonfim e representantes dos gestores de Filadélfia, Caldeirão Grande e Ponto Novo. No encontro os técnicos da gerência de controle operacional e de operação e manutenção da empresa apresentaram e discutiram soluções com os administradores para amenizarem os efeitos causados pela forte estiagem.

O eminente colapso no abastecimento de água foi anunciado para os próximos 60 ou 90 dias, caso não chova nos Mananciais que abastecem os municípios atingidos.   Sobre a possibilidade da cidade de Sr do Bonfim ser abastecida por caminhões-pipa, o prefeito Edvaldo Martins Correia (PTN), afirmou, “espero que esta necessidade não aconteça… Mas é preciso que haja um racionamento  dentro de nossa própria casa , é preciso que todos comecem  a usar a  água  racionalmente para que não haja desperdício. O problema é gravíssimo”. Conclui Dr Correia.

Sobre as previsões desfavoráveis de chuva e o eminente colapso no sistema de abastecimento, o prefeito de Itíuba comentou para reportagem do falandotudo.com – “o Açude Rômulo de Campus no rio Jacuricy está com menos de 10% da sua capacidade. O Jacurcy sangrou pela última vez em 2004, tanto tempo sem correr água pode ocorre à mortalidade dos peixes e isso acontecendo vai inviabilizar totalmente a água que resta para o consumo humano”. Falou preocupado o prefeito petista Silvano Santos Carvalho (Banga).

A intensificação da campanha de racionamento pelos gestores  para postergar  o colapso dos mananciais e o uso do prestígio política por parte dos prefeitos para acelerar o projeto da adutora que trará água do rio São Francisco, anunciado pelo Governo do Estado, formam os assuntos principais discutidos na reunião.  “A gente sabe que é uma obra de grande envergadura, a proposta é que sejam feitos 278 km de adutora e é claro que isto exige um estudo técnico refinado, no qual a gente agora não pode precisar o prazo para conclusão”. Falou Vinícius Araújo, gerente da unidade da Embasa de Sr do Bonfim.

A barragem do Rio da Prata que abastece Senhor do Bonfim, Antônio Gonçalves, Campo Formoso e Jaguarari ainda tem armazenada em seu reservatório 1 milhão de metros cúbicos de água – o volume segundo a embasa pode abastecer os municipios até o mês de maio na pior das hipóteses.

Nesta quarta-feira (9), outra reunião vai acontecer no escritório da Embasa em Jacobina com os prefeitos dos municípios da região. O objetivo e dar continuidade às discussões sobre o risco eminente  de escassez hídrica nos mananciais que abastecem as localidades baianas.

*Texto por FalandoTudo
Vídeo por BonfimNotícias