A operação Beryllos tem como objetivo o combate do comércio irregular de pedras preciosas no município de Campo Formoso- BA, norte do estado e região.

Na manhã desta quarta-feira (05), a Policia Federal divulgou, em entrevista coletiva, o balanço parcial da operação Beryllos, que conta com o apoio da Receita Federal e foi deflagrada também na manhã de ontem.

Na entrevista, estavam presentes os delegados da Polícia Federal Marcelo Werner, responsável pela delegacia de combate ao crime organizado na Bahia , Dr Amaro José Guimarães, delegado titular em Juazeiro e responsável pela investigação do contrabando de pedras preciosas no norte da Bahia, além do delegado da receita estadual, Dr Manoel Machado.

A operação Beryllos tem como objetivo o combate do comércio irregular de pedras preciosas no município de Campo Formoso- BA, norte do estado e região.

Essas pedras eram levadas para o Rio de Janeiro e de lá eram vendidas para o exterior por preços muito baixos e sem declarar os tributos. O valor dos tributos sonegados pode chegar a milhões de reais.

De acordo com o delegado Marcelo Werner, a operação tem como objetivo dar cumprimento de 24 mandados de prisão temporária e 32 mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Federal Especializada Criminal de Salvador/BA.

Após a deflagração, 13 pessoas foram presas em Campo formoso, no Rio de Janeiro foram cumpridos sete mandados e uma prisão ocorreu na cidade de Senhor do Bonfim.

Durante a investigação, já foram apreendidos duas armas, 200 Kg de minérios, 10 veículos de luxo, mídias e documentos que serão analisados e periciados. O delegado ressaltou que este é apenas o inicio. “A partir deste caso, dessas investigações, virão outros trabalhos”, declarou.

Na atuação do grupo criminoso foi constatada a prática de crimes tributários, descaminho, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, formação de quadrilha, crimes ambientais, usurpação de patrimônio público da União.

Por Cleilma Souza

Foto: Raryana Wenethya