O deputado Adolfo Menezes (PSD), prefeito eleito em Campo Formoso, entrou em contato com o Bahia Notícias para responder as acusações da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) de abuso de poder econômico e de uso indevido dos meios de comunicação em benefício da sua candidatura. Segundo o procurador eleitoral Sidney Madruga, o deputado teria firmado um contrato com uma rádio de grande audiência na cidade para difundir sua imagem com fins eleitoreiros e teria patrocinado uma feijoada que teria camisas com seu nome estampado. O parlamentar rebate que o veículo de comunicação, única do ramo na cidade, pertence a um adversário político histórico e para que ele tivesse um espaço de divulgação, fez um contrato pago com a verba indenizatória. “Isso foi desde 2011, antes de junho deste ano e do prazo determinado pela Justiça Eleitoral”, justifica. “Eu ouvi todas as entrevistas [na rádio] e em oito delas eu disse que não queria ser prefeito”, completa. Ele afirma que chegou a mandar um ofício para o veículo, após ser oficializada sua candidatura, para que a partir daquela data não divulgasse nada com seu nome. “Tem gente que não tem voto e fica se preparando para forjar”, defendeu-se. Adolfo Menezes também nega ter patrocinado a feijoada, que seria organizada por um primo de seu adversário, o deputado Elmar Nascimento (EPR), e diz não ter autorizado o uso do seu nome em estampas de camisas. De acordo com o prefeito eleito, a acusação partiu de candidaturas de oposição e a Justiça Eleitoral já julgou improcedente em primeira instância.

(Bahia Notícias)