O prefeito da cidade de Cansanção, Ranulfo da Silva Gomes (PSD), está sendo acusado de cometer várias irregularidades na sua administração, que se transformam em denúncias, todas protocoladas nas esferas local, estadual e federal. Por enquanto não há um posicionamento judicial sobre as questões, que estão tramitam há mais de um ano sem desfecho definitivo.

De acordo com o vereador Cirilo Araújo Damasceno (PSDC), autor das denúncias há quase dois anos vem acontecendo uma série de desmandos na administração pública em Cansanção. “Podemos falar, por exemplo, de licitações fraudulentas, peculato prevaricação, dentre outros crimes. Há mais de um ano, tomamos conhecimento de ações que realmente nos deixa estarrecidos na forma com as coisas acontecem; por exemplo, existem empresas, que sabemos que pertencem ao senhor prefeito e que ele teria colocado em nome de terceiros para que pudessem ter seus serviços contratados pela prefeitura”, revela.

Cirilo Araújo listou cinco empresas de que estariam nesta situação. “Uma delas é um posto de gasolina que está em nome de um cunhado do prefeito, que tem pouco estudo, é uma pessoa humilde, que teria passado uma procuração para que ele pudesse administrar a empresa. Em outra situação tem um segurança particular que é dono de uma locadora de veículos, tem também uma empresa de informática que está em nome do sobrinho do prefeito e outras situações de empresas suspeitas, que prestam serviços a prefeitura por meio de contrato”, explica.

O vereador listou cinco empresas, mas acredita que este número pode chegar a 20 empresas e pode estar acontecendo um desvio de aproximadamente R$ 10 milhões em verbas públicas. “Nós documentamos e fotografamos coisas absurdas, como por exemplo, uma escola que teria sido supostamente reformada. Digo desta forma porque se gastou, supostamente R$ 718 mil na reforma e quando se verificou em lócuo, nada disso era verdade porque nada foi feito: a escola estava do mesmo jeito de antes. O dinheiro gasto, ninguém sabe onde foi parar”, informa.

O parlamentar questiona também a forma como ocorrem as licitações. “Na verdade não existe concorrência e inclusive, nós temos prova de que uma pessoa tentou comprar o edital de uma licitação e não conseguiu e o porquê disso ninguém sabe. Outra coisa: quem ganha o processo sempre é uma empresa dele, ou ligada a ele e para não ficar tão visível, ele camufla colocando ‘laranjas’ como donos”, denuncia Cirilo Araújo.

Outra situação colocada é relacionada ao enriquecimento do prefeito em pouco mais de um ano. “Ora, nós sabemos que ele é empresário, mas como se explica o fato do seu patrimônio ter aumentado tanto neste período. Tem imóveis declarados pelo prefeito por valor, mas sabemos muito bem que valem muito mais. Hoje todos sabem que ele tem mais de 300 imóveis em toda a cidade”, disse o vereador.

Cirilo Araújo disse que levou ao conhecimento dos demais colegas vereadores esta realidade e que iria oficialmente pleitear a cassação do mandato do prefeito Ranulfo Gomes. “O problema todo é que as contas foram remetidas para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), que ainda não emitiu um parecer. Somente depois disso é que as contas serão analisadas pelos vereadores e aí poderei pleitear a cassação junto a mesa diretiva da casa”, explica.

 

AGUARDO

Cirilo Araújo já protocolou ações junto ao Ministério Público nas instâncias municipal, estadual e federal, mas até então não obteve um parecer dos referidos órgãos. “Há mais de um ano que protocolamos ação no MP local, que não se pronunciou. Então partimos para o Ministério Público Estadual e ainda não obtivemos resposta. Por fim fomos para o Ministério Público Federal e estamos no aguardo dos pareceres destes órgãos porque a Justiça não pode agir com passividade nestes casos. O prefeito foi reeleito e aí? Vão continuar os desmandos? A Justiça tem que se pronunciar, dar uma satisfação para a sociedade que não pode assistir a estes desmandos de maneira passiva”, comenta o vereador.

Jornal Folha do Estado de Feira de Santana