A administração pública municipal passou a considerar como algo premeditado a presença constante de animais soltos no centro da cidade, a qualquer hora do dia ou de noite. Um carro gaiola especialmente contratado não tem dado vazão ao excesso de cavalos, burros e vacasque não escolhem hora e lugar para invadir praças e ruas centrais da cidade.

A Prefeitura Municipal dispõe de vigilante no antigo abatedouro, investe em ração, paga mensalmente um carro gaiola especial e laçadores, mas não tem encontrado apoio e compreensão por parte de cidadãos que continuam criando animais na periferia da cidade.

Chamou a atenção de todos o fato de uma boiada com trinta cabeças estarem nos jardins da Praça Nova, obrigando prepostos da prefeitura e voluntários a tangerem os animais até o antigo matadouro, pela BR 324, onde foram trancafiados. Enquanto a operação era realizada multiplicavam-se os fotógrafos e políticos adversários que acompanhavam o traslado a meia-distância, o que tornou o fato ainda mais inusitado.

As secretarias de agricultura e de administração estarão reunidas esta semana para buscarem saídas mais coercitivas para o problema, que vem se estendendo também às rodovias federal e estadual que circundam a cidade de Senhor do Bonfim.