Prça de Filadelfia Bahia

O deputado Carlos Brasileiro (PT) apresentou moção de congratulações à cidade de Filadélfia pela passagem do seu aniversário de emancipação política e administrativa, comemorado nesta quarta-feira, dia 9 de maio. O município, criado em 1985, está completando 27 anos.

Brasileiro destacou a importância do município, que faz parte do Território de Identidade do Piemonte Norte do Itapicuru, especificamente na microrregião de Senhor do Bonfim. Filadélfia, que hoje conta com mais de 16 mil habitantes, é um dos maiores produtores de feijão do estado.

A história do município remota de muito tempo, quando os índios Cariris primitivamente habitaram esta região. No local, o lendário Lampião muitas vezes utilizou como trilha nas suas visitas ao Estado de Sergipe, quando “arranchava-se” em fazendas, às margens do Rio do Aipim, que era passagem para a então emergente Belo Monte (Canudos). Em razão do grande número de várzeas e da existência de currais, nas terras da fazenda de Alvino Pereira Maia, a região foi inicialmente chamada de Várzea do Curral. O pequeno arraial cresceu e aos poucos transformou-se em povoado, passando a chamar-se Filadélfia, palavra grega que significa “irmãos que se amam”.Filadélfia cresceu e criou identidade. Tornou-se polo produtor de feijão, um dos maiores do estado.

Com o desenvolvimento, os filhos da terra começaram a ensaiar a emancipação. Através do deputado estadual João Emílio foi apresentado à Assembleia Legislativa da Bahia o projeto de lei nº4.960, de 23 de maio de 1979, que criava o município de Filadélfia. Sua emancipação política, no entanto, só foi alcançada no dia 9 de maio 1985, sendo desmembrado do município de Pindobaçu.

Gabinte do deputado Carlos Brasileiro