A Secretaria Municipal de Saúde e a Coordenação de Imunização Municipal continuam atuando na Campanha de Vacinação contra a Influenza (gripe), iniciada no último sábado (05).

 

A campanha é nacional e voltada a idosos a partir de 60 anos, crianças de 6 meses e menores de 2 anos, grávidas e profissionais da saúde que trabalham diretamente no atendimento ou vigilância epidemiológica, público alvo definido pelo Ministério da Saúde.

 

De acordo com a coordenadora municipal de Imunização, Rosane Belém, mais de 30 postos de vacinação (das zonas urbana e rural) estão preparados para realizar os atendimentos, garantindo o bom andamento da campanha que deve se estender até o dia 25 de maio. Renata Silva, gestante de nove meses, reconhece a importância da ação. “A vacina é de fundamental importância para mim a para meu filho essa vacina. Me deixa muito mais tranquila e beneficia toda a população” – afirmou.

 

Objetivos – Este ano o Programa Estadual de Imunizações tem como meta vacinar, até o final da campanha, de forma indiscriminada, 80% ou mais da população. O secretário de Saúde Antônio Marcos Lima detalha: “ Ao longo da semana, a imunização será realizada nas unidades de saúde, das 08 às 17 horas. Neste sábado, foram instalados postos de vacinação em locais de grande circulação de pessoas”.

 

A doençaA Influenza é uma infecção viral que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, a garganta e os brônquios. O contágio ocorre de forma direta, por meio das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar; ou ainda de forma indireta, pelas mãos (após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias as mãos podem levar o agente infeccioso direto à boca, aos olhos e ao nariz). A vacinação é uma das melhores formas de prevenção.

 

Dicas – 1. Na vacinação das crianças, é muito importante que os pais e/ou responsáveis levem o cartão de vacinação e saibam se a criança já tomou alguma dose anterior; 2. Não é necessário apresentar atestado médico para comprovar a gravidez; 3. Os doentes crônicos devem levar aos postos de vacinação, documento com foto e a carteira de vacinação do adulto, se possuir; 4. Não é preciso levar atestado médico como comprovação de doença crônica.

 

 Equipe do I Centro de Saúde

Ascom