A maior seca dos últimos 50 anos na Bahia, levou o prefeito de Senhor do Bonfim, Paulo Machado(PP), a realizar uma audiência pública para discutir as ações do São João. Vendedores ambulantes, proprietários de hotéis, restaurantes, pousadas, empresários, comerciantes e segmentos diversos da sociedade, discutiram e apresentaram opiniões diversas com relação aos festejos.

O chefe do Pólo da Embasa, Dr Vinicius,  declarou que o município passará por um racionamento de água a partir de segunda -feira(07), e que a barragem do Rio da Prata, poderá secar completamente se não chover nos próximos meses.

O Tribunal de Contas dos Municpios da Bahia, através do seu presidente, já declarou que vai acionar o Ministério Público para tomar medidas urgentes contra as cidades que realizarem festejos em situação de emergência. O TCM, não vai tolerar gastos dessas prefeituras.

 

Diante da situação, a prefeitura apresentou as seguintes propostas.

-Realizar o São João, com apenas três dias de festa, sexta, Sábado e domingo;

-Cortar da grade de programação bandas e cantores contratados por altos valores;

-Realizar a decoração do Parque da Cidade de maneira mais  simples;

-Cortar a participação de bandas no Forrobodó, que teria apenas os sanfoneiros como atrações;

-Reduzir  o São João nos bairros, contando somente com a participação de sanfoneiros, sem a presença de bandas;

-Cancelar os festejos de Igara e Quiçé .

Contra- propostas foram tambem apresentadas. Comerciantes entendem que  3 dias de festas ocasionarão prejuízos diversos no município.

Como nada foi resolvido, o prefeito Paulo Machado, informou que sentará com sua equipe de governo, para decidir a partir do debate na audiência pública, como será o São João deste ano.