Reunido ontem (25/04), em Sessão de Julgamento, o Tribunal do Júri da Comarca de Pindobaçu (Ba) condenou o homicida Eduardo Estevão Paim a 6 (seis) anos de prisão em regime inicialmente fechado.

Paim matou a facadas, no dia 4 de abril de 2009,por volta das 5 da tarde, o vizinho Javan Ferreira da Silva, no centro da cidade de Filadélfia (Ba), onde os dois moravam, logo após desentendimento entre eles, motivado por divergência durante um jogo de baralho em que a vítima segurava a aposta entre Paim e a pessoa conhecida por “Nego Jú”, que jogavam cartas apostado num bar da cidade.

Foragido desde o dia do crime, o homicida, que teve a sua prisão preventiva decretada pela Justiça, foi preso no início de junho de 2011, mais de dois anos depois de ter praticado o crime, refugiando-se em várias cidades da região, vindo a ser preso em Cansanção, numa operação policial que realizava diligência de investigação diversa do objetivo de prender o homicida.

O Tribunal do Júri foi composto por pessoas da sociedade de Filadélfia e teve a presidência do Juiz Titular de Campo Formoso e Substituto de Pindobaçu, Dr. Aroldo Carlos Borges do Nascimento, atuando pelo Ministério Público a promotora de Justiça Titular da Comarca de Pindobaçu, Dra. Karina da Silva Santos, auxiliada pela promotora de Justiça Titular da Comarca de Entre Rios, Dra. Ana Cláudia Costa (em visita à região) e com a assistência do advogado criminalista, Josemar Santana, contratado pela família da vítima e que completou 92 atuações no Tribunal do Júri.

Na defesa atuaram os advogados Cláudio Vicente Almeida, Pompilio de Souza Filho (Pita), Cássio Roberto e Bruno Lopes, sustentado a tese de Legítima Defesa, rejeitada pelo Conselho de Sentença.

(Foto: Advogado Josemar Santana, ladeado pelas promotoras Karina (à direita) e Ana Cláudia (à esquerda).

SANSIL COMUNICAÇÃO – Sr. Do Bonfim, Bahia, 26 de abril de 2012