À: Prefeitura Municipal de Senhor do Bonfim Câmara Municipal de Vereadores Ministério Público Casa de Recursos Hídricos – CRH Secretaria Municipal do Meio Ambiente Imprensa local: Rádios AM e FM

Prezados Senhores,

Nós, do Movimento CETA – Movimento de Trabalhadores(as) Assentados(as) e Acampados(as) do estado da Bahia, através da Associação do PA – Projeto de Assentamento Serra Verde, com sede e área de Reforma Agrária neste município de Senhor do Bonfim, vimos por meio deste expor a preocupante situação em que se encontra o açude da Suissa e seus mananciais e ao final SOLICITAR urgentes providências: Ao contrário do que pensa e propaga parte da sociedade, principalmente os que são opositores à Reforma Agrária, desde que ocupamos e conquistamos as terras abandonadas e as estruturas em ruínas da antiga e falida CEMASA, nada mais fizemos do que recuperar parte daquela estrutura depredada, construindo nosso Centro de Formação Regional, nossas casas, adquirindo energia, água encanada, construindo cisternas domiciliares e voltando fazer produzir aquelas terras produtivas e férteis que até então encontravam-se ociosas.

Hoje, nosso assentamento está em fase de conclusão do processo de licenciamento ambiental, onde a Área de Reserva Legal e as APPs (Áreas de preservação permanentes) estão todas demarcadas e delimitadas, sendo respeitadas por todos(as) os assentados.

Somos todos(as) produtores(as) de hortaliças, não usamos nenhum tipo de adubo e defensivos químicos, porque entendemos que precisamos zelar pela nossa saúde, do nosso povo e pela vida da mãe natureza. Defendemos o propósito de desenvolvermos a agricultura camponesa, produzindo sem agrotóxicos, zelando e preservando a mãe natureza, evitando desmatamento e queimadas, buscando alternativas de convivência no semi-árido, sem desperdício de água, entre outras tecnologias apropriadas. É preciso que ás autoridades constituídas e os órgãos governamentais competentes do município de Senhor do Bonfim tomem conhecimento da real situação em que se encontra o açude da Suissa e seus mananciais e tomem providências urgentes para reparar tamanho desrespeito a toda população da zona rural do município de Senhor do Bonfim e micro-região que se utiliza desse preciosismo líquido. Além de desviar a água das nascentes do Açude da Suissa para molhar pastagens, com o objetivo de vender água, tornando-a mercadoria e objeto de lucro, barragens foram e estão sendo construídas ao leito do rio e das nascentes que deságuam no Açude, impedindo assim o percurso natural de suas águas.

Até um chafariz particular foi construído recentemente para abastecer os carros pipa. O açude que abastece aproximadamente cerca de 100 carros pipa diariamente para todo o município de Senhor do Bonfim e micro região está baixando consideravelmente dia após dia. Se nos próximos dias nenhuma providência for tomada, certamente milhares de pessoas da zona rural que hoje só tem essa água para o consumo humano e animal, ficará sem este precioso líquido. Neste 22 de março, quando as organizações sociais comemoram o Dia Mundial da Água, conclamamos todas as autoridades, instituições e órgãos governamentais competentes para tomarem providências urgentes no sentido de não deixar que interesses particulares econômicos de poucos venham trazer graves consequências para toda uma população já sofrida com a estiagem prolongada.

A água é dom de Deus, um bem da natureza, patrimônio da humanidade, é de todos(as)! Não é propriedade particular de ninguém. Não é mercadoria! Por isso não podemos ficar calados diante de tamanha injustiça.
Senhor do Bonfim, 22 de março de 2012

________________________________________ Joaquim Ferreira Barros Coord. do Movimento CETA Regional
________________________________________ Jorge da Silva Coord. do PA Serra Verde