A irregularidade no abastecimento de água em Santaluz, no nordeste  baiano, obriga os moradores da cidade a pagarem até R$ 150 para realizar  atividades cotidianas como tomar banho, cozinhar e limpar a casa.  Algumas ruas do município estão há 45 dias sem fornecimento, o que  trouxe de volta ao cenário local a tradicional figura do carroceiro,  responsável por vender toneis de água, sem tratamento, pelo valor de R$  30. A alternativa é a mais viável para a maioria das famílias da região,  que não tem condições de pagar R$ 150 para contratar um carro-pipa. A  população de Santaluz alega já ter registrado inúmeras reclamações no  escritório local da Empresa Baiana de Água e Saneamento (Embasa), mas  até agora nenhuma providência foi tomada.

(Bahia Notícias)