Na última sexta-feira, dia 20, autoridades, lideranças políticas, religiosas, empresariais, associações e sindicatos, estiveram reunidas no plenário da câmara de vereadores para debaterem a insegurança pública vivida em Ponto Novo.

Coordenada pela presidência da Associação Comercial, na pessoa do Sr. Artur Paiva, a reunião contou com expressiva presença de lideranças e de cidadãos.

Presentes ao encontro o representante do 6º Batalhão da Polícia Militar, Major Sidney, representante da coordenadoria da Polícia Civil, Dr. Juvenal Uchoa.

Na abertura, Artur Paiva, fez um breve relato do quadro atual de Ponto Novo, dando ênfase a recentes instalações de entidades financeiras como Banco do Brasil e Bradesco, falou ainda que aquela seria uma reunião de trabalho com o objetivo de alertar as autoridades e a sociedade civil sobre a vulnerabilidade da segurança pública de Ponto Novo.

Para o representante da 6ª companhia da Polícia Militar, há necessidade de uma maior integração entre as diversas instituições para se estabelecer ações imediatas de enfrentamento da crescente violência, citando como o imediato aumento do efetivo militar, além da nomeação de um delegado; para o coordenador substituto da polícia civil, Dr. Juvenal Uchoa, a nomeação de delegado depende de fatores que estão acima das suas atribuições, como concurso publico, por exemplo diante do reduzido efetivo de delegados no estado.

Ações sugeridas com urgência de implantação:

1. Aumento do efetivo militar

2. Permitir a Polícia Militar a detenção de pessoas na delegacia de Ponto Novo durante o horário comercial e sua condução a autoridade judicial após o expediente comercial

3. Cobrar da Polícia Militar a ação de combate ao abuso da poluição sonora, fazendo valer a portaria do ano de 2007 que disciplina o assunto

4. Estabelecer horário de funcionamento de bares.

5. Solicitar a Polícia Militar maior fiscalização sobre a presença de menores em bares.

6. Aquisição por parte da Prefeitura Municipal de um decibelímetro para que a atuação da Polícia Militar possa caracterizar poluição sonora de automóveis e bares

7. Fiscalização de abusos de motociclistas em relação a velocidade e escapamento

O procurador do município, Dr. Tanajura, se comprometeu em dar o parecer do município em relação a compra do decibelímetro e também em relação ao horário de funcionamento dos bares.

Ao final, as lideranças se mostraram dispostas a continuar com a mobilização, promovendo novas reuniões e uma possível solicitação de audiência ao secretário estadual de segurança pública.

Na noite do dia da reunião, por coincidência, aconteceu mais um brutal assassinato em Ponto Novo, com um homem morto com mais de vinte tiros.

 

 

(Escrito por Arnobio Carneiro)