O consórcio do Piemonte Norte do Itapicuru promoveu na manhã de hoje (18) um reunião de emergência para tratar de problemas acerca da seca que acomete a região.
 
Produtores rurais, agricultores familiares, representantes de cooperativas, prefeitos e secretários dos municípios discutiram a atual realidade de estiagem  e diagnosticaram as inúmeras dificuldades para manter a agropecuária com a situação em que o Piemonte do Itapacuru se encontra. 
 
Dentre os problemas levantados, o principal é a escassez de água, que se coloca como causa das outras adversidades, como falta de mananciais permanentes, aguadas pequenas e açudes secos, poços artesianos insuficientes, ausência de recursos para alimentação tanto de animais quanto de famílias, proveniente da falta de investimento de órgãos como o Banco do Nordeste e do Brasil e do endividamento dos produtores rurais, pois sem produção não conseguem quitar dívidas.
 
Os problemas em relação à seca na região atingem indiretamente outros setores. No caso do município de Andorinha, onde a água  é escassa inclusive na sede, até o calendário letivo de aulas está comprometido, segundo o secretario de Educação, Romero. “Falta água pra beber, cozinhar, tomar banho… como encaminhar 4.000 crianças à escola sem recurso hídrico?”
 
O êxodo rural intenso também está sendo observado. De acordo com relatos de participantes da reunião, o número de casas abandonadas no campo cresce a cada dia.
 
Por ora, são necessárias medidas emergenciais, pois a situação tende a piorar já que os recursos disponíveis hoje, que englobam o uso de carros-pipa e lavagem das aguadas por algumas cidades  são insuficientes para atender a demanda. É necessário maior agilidade na ampliação de açudes e aguadas, além da criação de novos poços artesianos.
 
Em longo prazo, porém, é indispensável que sejam criadas ações efetivas para o problema, pois a estiagem é uma realidade da região há muitas décadas, como salientou o presidente da Câmara de vereadores João Bernardes “Biro-Biro”, tendo o apoio unânime dos participantes. “Não podemos nos preocupar com a seca somente quando ela acontece. O problema é que se chover amanhã, todo mundo acha que o problema está resolvido. O correto é cuidar da situação durante todo o ano com medidas preventivas, pra não chegar num momento desse de modo tão desesperador.”
 
Os membros da reunião vão elaborar um documento formal englobando os diagnósticos, ações emergenciais e permanentes dos nove municípios que compõem o Piemonte Norte do Itapicuru demonstrados durante esse encontro, com o objetivo de sensibilizar os governos estaduais e federais a investir e enviar recursos para a região que está sendo bastante castigada. Caso nada seja feito, estaremos diante de uma tragédia de grandes proporções.
 
 Fonte: Rádio Caraíba AM

Por Karen Moraes