Passados mais de seis meses, os envolvidos estão em liberdade.  Acompanhe o caso;

Um esquema de corrupção envolvendo extorsão e repasse de informação privilegiada para traficantes, entre outros delitos, comandado há mais de um ano pelo delegado titular do município de Monte Santo, Josevânio da Rocha Araújo, foi abortado  pela Polícia Civil e o Ministério Público. Também participavam do esquema, desarticulado na Operação Monte Santo, o titular da Delegacia de Cansanção, Carlos Roberto Botelho Vasconcelos, um escrivão de polícia, um soldado PM, um advogado e um servidor municipal.

Seis mandados de prisão e dez de busca e apreensão expedidos pelo juiz Vitor Xavier, da Comarca de Monte Santo, foram cumpridos nas primeiras horas da manhã desta sexta no município, em Cansanção e Senhor do Bonfim, além de Salvador.

A prisão do líder do esquema, delegado Josevânio Araújo, aconteceu na capital.

Em Cansanção, houve ainda a apreensão de mais de 30 armas, entre pistolas (duas 9 mm), rifles e revólveres na casa do advogado e ex-procurador local Alexandro Soares Andrade, preso no município, onde também foi detido o escrivão Lindon Johonson Salvador Lopes.

A Operação Monte Santo, coordenada pelo delegado Felipe Neri da Silva Neto, coordenador da 19ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), foi acompanhada pelo diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Edenir de Macedo Cerqueira, e por promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e de Investigações Criminais (Gaeco).

Em Monte Santo, os investigadores da 19ª Coorpin prenderam o servidor municipal Cleudisson de Santana Campos, cedido ao Poder Judiciário para exercer a função de motorista do juiz local.

A prisão do soldado PM Julian Ross Dias Serafim aconteceu na cidade de Senhor do Bonfim.  As investigações conduzidas pelo delegado Felipe Neri foram acompanhadas pelo Ministério Público, por meio da promotora Mônica Lopes de Souza Dhighignone.

Delitos praticados

Entre os delitos praticados pelo grupo liderado pelo delegado Josevânio Araújo constou a extorsão de proprietários de veículos com restrição de furto, roubo ou restrição administrativa. Depois de localizadas pelo soldado PM Jullian e o escrivão Lindon, essas pessoas eram encaminhadas para as delegacias de Monte Santo ou Cansanção, e na presença do delegado Josevânio, com intermediação do advogado Alexandro, era exigido pagamento de valores entre R$ 2 mil e R$ 8 mil para que não ficassem presas.

Ao servidor municipal Cleudisson Campos cabia arrecadar dinheiro oriundo do tráfico de drogas, do jogo do bicho e de máquinas caça-níqueis para ser entregue ao delegado Josevânio Araújo. Cleudisson, que tinha fácil acesso ao fórum de Monte Santo, também passava informações privilegiadas aos traficantes locais, principalmente sobre mandados de busca e apreensão e de prisões decretadas contra criminosos. Surpreendido com munição de calibre 9mm de uso restrito e aves silvestres, além das armas apreendidas em sua casa, o advogado Alexandro Soares Andrade foi autuado em flagrante.

Passado vários meses após a operação, os principais suspeitos já estão em liberdade. Os acusados ficaram sete meses presos em Salvador, na Corregedoria da policia civil. Julian Ross Dias Serafim, foi defendido pelo renomado advogado bonfinense Pedro Cordeiro.