O Delegado de Policia, Felipe Nery, convocou toda a imprensa de Sr do Bonfim, para apresentar novos detalhes do assassinato da estudante Márcia Regina Macedo, estrangulada pelo próprio esposo, o Investigador da Policia Civil, João Macedo, que continua preso na carceragem da Corregedoria, em Salvador.

O delegado iniciou a coletiva contando os detalhes da investigação. Felipe Nery, contou que João Macedo, contou informalmente como matou a esposa.

Marcia, foi algemada, espancada e estrangulada. Uma testemunha contou para a Policia, que no dia do crime, ela esteve por volta das sete e meia da noite, com Marcia Regina, que usava um vestido, ao contrário da calça jeans que ela usava no local do ‘acidente’.

A Policia usou a técnica do luminol em toda a casa do casal, e os exames confirmaram que Márcia foi morta no quarto dos filhos .  O delegado contou ainda que, o vestido foi encontrado pela Policia no varal do quintal da casa, já lavado, mas os exames com luminol mostraram marcas de sangue no vestido, até mesmo a pia usada para a lavagem do vestido tinha marcas de sangue.

Parentes do investigador, lavaram a casa para não apresentar suspeitas. Marcia foi morta antes da 23 Hs. Dois parentes do investigador, participaram da encenação do acidente ajudando, João Macedo a levar o corpo da estudante para a BA-220.

Do quarto onde foi morta, até a entrada da casa, a policia encontrou rastros de sangue.

Os nomes dos parentes ainda não foram revelados pela Policia, mas eles já foram reconhecidos por testemunhas.

João, mantém a versão de que tinha visto a esposa saindo de um motel, ele estava ao lado do Delegado de Policia, Dr Almino, que ao prestar depoimento, negou a versão do investigador.

Na coletiva, Felipe Nery, contou que Marcia foi espancada por cerca de quinze minutos, até lamentavelmente morrer. Em um dos depoimentos de testemunhas, João, dono de um ciúme possessivo, ficava as vezes escondido embaixo da cama para ouvir as conversas de Marcia ao telefone.