A direção do PT de Sr do Bonfim,  rompeu o silêncio e está divulgando uma carta para conhecimento da população . Na carta, endereçada  ao prefeito Paulo Machado,  o Partido do Trabalhadores ,  aborda todos os fatos  anunciados na imprensa ainda com relação ao rompimento do partido com o prefeito . O documento é assinado pela presidente do PT Rita Braz. 

A carta surge 24 horas após as exonerações de dois dos principais secretários  do governo . Conheça agora a íntegra do documento:

Of. DMSB nº 0029/2011                                                                            Senhor do Bonfim, 06 de outubro de 2011.

 

Ao:

Exmº Sr Paulo Batista Machado

M.D. Prefeito do município de Senhor do Bonfim – Bahia

Exmº Prefeito,

Diante do cenário político municipal atual, onde o Partido dos Trabalhadores – PT, mais uma vez aparece como centro do debate, consideramos salutar e necessária uma posição transparente e coerente com os nossos princípios que nos fizeram ocupar o poder político em todas as esferas do país através da confiança e vontade do povo.

Inicialmente, diante do que temos presenciado não nos parece pertinente apontarmos dedos ou assumirmos discursos depreciativos acusatórios que nos fazem lembrar as clássicas e imortalizadas cenas na história da civilização quando se trata de disputa pelo poder, a exemplo da expressão usada por Júlio César (44 a.c) diante da cena de traição que o levou a morte: Tu quoque, Brute, filii mei! (“Tu também, Bruto, meu filho!”), ou a expressão mais atual “Até tu, Bruto?”, usada por Shakespeare.

Entendemos que este tipo de discurso ainda se aplica quando nos entregamos incondicionalmente a um projeto que acreditamos e elegemos com a mesma confiança os companheiros que estarão ao nosso lado, defendendo uma causa cujos interesses coletivos se sobrepõem aos interesses individuais e sofremos decepções. É necessário então relembrá-lo que a aceitação do seu nome como companheiro no PT, como companheiro de luta por princípios e ideais históricos e que honram a nossa trajetória, nunca foi consensual! Antes mesmo da oficialização da sua mobilidade partidária já havia dúvidas em torno do perfil do novo filiado que estaríamos acolhendo e elegendo como par.

A desconfiança sobre a identidade partidária do novo filiado, para além dos interesses políticos do momento, sempre estiveram no centro da pauta. Mesmo quando tivemos que sensibilizar a militância para a luta a fim de defender um projeto de sociedade que apaixonadamente nos identifica e aproxima, o nosso grito parecia se esvair na descrença e descrédito ao “novo companheiro” que iria assumir a liderança naquela nova etapa de concretização. Definitivamente, a surpresa da ruptura, da desfiliação, da decepção expressada com discursos resgatados no estilo “Tu quoque, Brute, filii mei!” não se aplica nas nossas compreensões e representações sobre o fato, Senhor Prefeito!

Infelizmente a desconfiança de alguns fazia sentido, até porque não podemos apagar o que a história nos conta. Mesmo acreditando na permeabilidade dos nossos conceitos, das nossas posições, na processualidade, na mudança e no constante devir, algumas marcas do que somos permanecem e nos identificam para sempre! Basta também relembrarmos de fatos concretos que ilustram a sua

trajetória política e que preferimos compreendê-las, na época, como “estigmas”. Ora, o Senhor tinha demonstrado ser aliado – muitas vezes manifestando publicamente o discurso de aprendiz da gestão séria e competente que foi implantada durante os 08 anos de gestão municipal do Partido dos Trabalhadores, sob liderança do companheiro Carlos Brasileiro! Além disso, a sua bagagem intelectual e as idéias progressistas que perpassavam o seu discurso acadêmico estavam muito acima do que as marcas desprestigiosas e conservadoras anteriormente apontavam.

Foi assim que, naquele momento, a maioria dos companheiros acreditou verdadeiramente que o Senhor poderia dar continuidade ao trabalho vitorioso e aprovado pelo povo que foi iniciado pelo PT no Município de Senhor do Bonfim. Ledo engano! Hoje sabemos a distância que há do seu papel de co-participação no trabalho na gestão pública municipal que foi implantado, para o seu papel na liderança dos trabalhos. Um líder democrático assume a sua liderança sem abrir mão da possibilidade de deixar-se ser avaliado pelos companheiros que, com suor e luta, trabalharam em prol da sua eleição, acreditando na possibilidade da continuidade de um projeto político que por décadas foi sonhado, pensado, estruturado e aplicado com sucesso. De forma abrupta, o que foi construído ficou estagnado ou foi enfraquecido em seu governo. Mais uma vez, lamentavelmente, temos que sucumbir ao que a história revelou: só “idéias não correspondem aos fatos”. Um companheiro petista, com “alma” petista e companheiro de luta e ideal partidários nunca abandonaria o barco porque não quer ser submetido ao que nossos princípios históricos apontam e norteiam!

Entendemos, então, que o Senhor não está deixando o partido! O Senhor está saindo de um lugar, de uma posição em que nunca se adaptaria e deveria estar! Essa não é a sua essência partidária. O Senhor está voltando para a posição em que sempre esteve! Respeitamos a sua escolha, mas de concreto queremos afirmar que estamos falando em escolhas e de lugares absolutamente diferentes! Nos equivocamos na escolha, na confiança, quando generosamente nos colocamos enquanto companheiros na linha de frente da luta e batalhas para elegê-lo e o colocarmos no cargo que agora ocupa. Mas sabemos também que os legados dos trabalhos desenvolvidos pelo PT no município, são demarcadores de épocas como modelo de gestão pública. Isso representa a nossa marca partidária e ela não será jamais esquecida!

Por isto mesmo estamos colocando à disposição de V. Excelência, os cargos que correspondem ao espaço dado no seu governo ao Partido dos Trabalhadores. Não há sentido a nossa permanência quando estamos tratando de ideais e valores políticos que se opõem!

Rita de Cássia Braz Conceição Melo

Presidente PT/DM – Senhor do Bonfim – Ba.