REGIÃO: Cidadãos se unem em prol do Hospital D Antonio Monteiro. 

Paralisação da BR-407 já tem data e hora para acontecer

A reunião de organização do evento de mobilização social em prol do Hospital Regional Dom Antônio Monteiro, que aconteceu nesta Quarta-Feira (28) na Câmara Municipal de Senhor do Bonfim ganhou uma amplitude acalentadora para os cidadãos bonfinenses que não suportam mais aguardar passivamente por uma solução aparentemente improvável das autoridades estaduais. Reunindo segmentos sociais de diferentes vertentes e visões, o encontro, produziu um efeito acachapante nos pessimistas e promoveu um laço de confraternização entre os participantes. Em uníssono, irmanados, homens e mulheres de toda a região clamaram por um olhar mais sensível do Governo da Bahia sobre a situação caótica vivenciada diariamente no atendimento publico de Saúde.


Na pauta de discursões apresentadas ao público, questões providenciais, pontos cruciais que permearão e servirão de “alavancagem” para o processo de ampla divulgação do evento e mobilização social para manifestação que já tem hora e data marcada para acontecer. Ficou decido que as comissões formadas pelos setores de: Coordenação, Comunicação e Finanças, trabalharão durante essa semana em um planejamento estratégico, e apresentarão, em conjunto, um plano de ação que permitirá uma maior fluência das informações, fundos necessários para a execução, segurança durante a manifestação e ampla comunicação social do evento.


Ficou decidido pelos presentes que a população regional será a grande fonte propagadora dos convites em forma de panfleto, com a participação efetiva dos colégios, que acontecerá nos dias 07 e 08 de Outubro (Sexta e Sábado) com saída da Câmara Municipal de Senhor do Bonfim – o material também será enviado para outras cidades com o intuito de reforçar o evento e sensibilizar sobre a situação do Hospital. Decidido também a data de 11 de Outubro (Terça-Feira) como o dia da paralização da BR-407, que acontecerá às 9hs, com concentração na Praça Nova do Congresso. O vestuário em cor branca, aludindo simbolicamente à paz e a serenidade, foi uma escolha consensual, que poderia naturalmente servir também como homenagem a todas as pessoas que sofreram, sofrem ou foram vitimas fatais do descaso da saúde em Senhor do Bonfim.

Colaboração:Ricardo Aquino

Foto: Blog do Cleber Vieira

Compartilhe isso