Avicultora melhora gestão financeira depois da formalização

Com rendimento bruto de R$5 mil/mês, ela já pensa em assinar a carteira do filho

Tamara Leal

Batalhando desde a infância, Etelvina Ferreira Nascimento Oliveira, Dona Mirinha, desenvolveu vários ofícios até encontrar, em 2009, a atividade ideal. Mesmo trabalhando em algo com boa lucratividade e que lhe proporcionava prazer, a falta de conhecimento emperrava o crescimento do negócio, o que a fazia desanimar. Prestes a desistir da criação de galinhas caipira, por sugestão de uma vizinha, Dona Mirinha resolveu procurar o Sebrae.
Ela buscava informações sobre a atividade, especialmente os cuidados com a gestão financeira. Em 50 minutos de atendimento, a avicultora recebeu dicas preciosas de como separar as despesas pessoais da atividade, retirar o pró-labore de acordo com os lucros, entre outras informações. Mas, o mais importante mesmo foi se tornar uma Empreendedora Individual (EI).
“O Sebrae me abriu as portas do conhecimento. Pensava que era um absurdo pagar INSS. Através das informações que adquiri, cumpro com os deveres de empresária, mas também colho os frutos da formalização”, revela.
Com o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) em mãos, Dona Mirinha, que começou sua atividade com R$250 e não tinha como comprar a prazo, abriu conta empresarial, conseguiu cheque especial, empréstimos para capital de giro e tem, junto ao distribuidor, prazo de até 45 dias. Todo mês a empreendedora compra cerca de mil pintos, que são criados e batidos em sua granja no Bairro Vila Feliz, na cidade de Jacobina. Além de fornecer galinhas e ovos para mercados e restaurantes da cidade, os seus produtos são adquiridos por donas de casa na feira livre, onde a mesma tem uma banca.
Os frutos da formalização são muitos, além de quintuplicar a criação de animais, ela já adquiriu inúmeros eletrodomésticos e está estruturando o local de criação e abate dos animais. A empreendedora também afirma que a construção da sua casa, que está em fase de acabamento, só foi possível graças ao aprimoramento da atividade.
A avicultura tem a ajuda do esposo e de um filho. Com um rendimento bruto de R$5 mil/mês, ela já pensa em assinar a carteira do filho.

Produtos Sebrae
Ávida por conhecimento, Dona Etelvina é uma das empreendedoras assistidas pelo Programa Negócio a Negócio deste ano e acaba de receber a devolutiva com as dicas de como melhorar ainda mais a gestão financeira da Granja da Mirinha. Ela também vai participa da Oficina SEI Planejar, que acontece na sexta-feira, 19, às 19h, no Ponto de Atendimento do Sebrae de Jacobina e é direcionada aos Empreendedores Individuais.


_ _ Tamara Leal Agência de Notícias Sebrae Bahia (74) 9121 – 1018 (Tim) ou 8805 – 5269 (Oi) tamara@varjao.com