Dar voz aos oprimidos, enfrentar os opressores, promover revolução. Esses são alguns dos objetivos do Teatro do Oprimido, criado na década de 1960, no contexto da ditadura militar, pelo teatrólogo e dramaturgo brasileiro, Augusto Boal. Diante da importância dessas discussões que continuam tão atuais, a exemplo das centenas de vidas negras perdidas por dia, o Departamento de Educação (DEDC), Campus VII da UNEB criou o projeto “Estudos Virtuais em Teatro do Oprimido” que mescla o estudo de Arte, Teatro, Educação e Revolução.

O projeto idealizado pela professora da licenciatura em Teatro do DEDC VII da UNEB, Taína Assis, visa estudar virtualmente e de forma coletiva alguns conteúdos sistematizados pelo autor Augusto Boal, despertando nos participantes o desenvolvimento de estruturas relacionadas à ética e solidariedade. Atualmente, o grupo é composto por 19 participantes e conta com a colaboração do professor da licenciatura em Teatro, Enjolras Oliveira. O grupo se reúne semanalmente, de forma virtual, para discutir conteúdos ligados à Poética e experimentar jogos e exercícios do Teatro do Oprimido.

“Estamos juntos e conectados, produzindo conhecimento e discutindo sobre temas que extrapolam os conteúdos didáticos. Eles dizem respeito ao momento atual que estamos vivendo, aos nossos sentimentos em relação a tudo isso, e a arte que queremos ou estamos produzindo diante de tantas incertezas. Não tenho dúvidas que estamos caminhando para as necessárias e inevitáveis, micro revoluções!”, frisou, Taína.

Lorena Simas
Coordenadora do Núcleo de Assessoria de Comunicação (NAC-DEDC/UNEB)