Celson, vítima do envenenamento.

Defesa de Rosa Maria, alega que um dos jurados teria curtido no Facebook, o pedido de condenação.

Condenada há 48 anos de prisão, acusada da prática de um homicídio e cinco tentativas de homicídio, Rosa Maria, a “assassina do doce” solicitou através do seu advogado de defesa, Dr Pedro Cordeiro, a nulidade do júri.

Segundo a defesa, pesquisando postagens nas redes sociais, foi descoberto o desejo de um dos jurados em condenar  Rosa.

Pelas cópias das postagens apresentadas no pedido, um dos jurados curtiu por várias vezes, o clamor de internautas que pleiteavam a condenação.

A jurada em questão, não poderia segundo a defesa, participar do júri, já que ela mantinha um entendimento público pela condenação.

Outro fato apresentado pela defesa, é a suspeição da promotoria, que teria tido um comportamento suspeito e inadequado ao “conversar” com os jurados.

Confira o pedido de nulidade apresentado pelo advogado Dr Pedro Cordeiro:

 

https://drive.google.com/file/d/1rFwaNSmuzrj5PA7W6MfLLQ-hM3fRmL2H/view?usp=drivesdk